Menu

Política

Cortes do Governo Bolsonaro ameaçam a existência do CNPq e o futuro do Brasil, alerta o Senador Rogério Carvalho

A possibilidade de suspensão do pagamento de bolsas a 84 mil pesquisadores a partir de setembro provocou um protesto do Senador Rogério Carvalho (PT/SE) nas redes sociais sobre o desinteresse deste governo em investir em educação e pesquisa.

“Um governo que não aposta em conhecimento, pesquisa e inovação do país, só garante justificativas medíocres para o povo: “não temos dinheiro”. 84 mil bolsas serão suspensas. E para o nosso futuro, esmolas por tanta ignorância!”, desabafou o vice-líder do PT no Senado.

 

 

De acordo com informações divulgadas pela imprensa, milhares de pesquisadores vão ficar sem o pagamento da bolsa, já a partir do próximo mês. Existe um déficit de R$ 330 milhões no orçamento do CNPq. Os últimos recursos em caixa já teriam sido utilizados para pagar as bolsas de agosto.

O CNPq é a principal agência de fomento à ciência do governo federal, ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Além de financiar projetos de pesquisa, o conselho apoia cerca de 84 mil bolsistas em universidades e institutos de pesquisa.

As bolsas do CNPq exigem dedicação exclusiva, ou seja, os pesquisadores não têm outra fonte de renda. Situação que vai deixar milhares de professores e estudantes de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado sem condições de manter seus trabalhos.

Como o professor e pesquisador, o Senador Rogério Carvalho demonstra preocupação com o autoritarismo do governo Bolsonaro.

“Eleger a educação e a ciência como inimigas é uma forma de colocar um projeto autoritário em prática, já que o conhecimento contribui para a conscientização popular. Cortar as pesquisas significa colocar em risco o futuro da produção acadêmica, cientifica e o desenvolvimento do país”, completa o Senador Rogério Carvalho.

Fonte: senadorrogerio.com.br

Governadores do Nordeste discutem missão internacional com representantes da França e Rússia

Ainda cumprindo agenda conjunta, logo após a criação do Consórcio Nordeste, oficializada nesta segunda-feira (29), em Salvador, Bahia, a comitiva de governadores nordestinos seguiu para Brasília. Os detalhes da missão do Consórcio do Nordeste na Europa foram discutidos à noite, entre os governadores, o ministro de Negócios na França, Jean Yves, e o embaixador do país no Brasil, Michel Miraillet.

O encontro aconteceu na embaixada da França, em Brasília, e contou com a participação do presidente do Consórcio, governador Rui Costa (Bahia); dos governadores Wellington Dias (Piauí), Paulo Câmara (Pernambuco) e Fátima Nunes (Rio Grande do Norte); da vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino; do secretário executivo do Consórcio, Carlos Gabas; e de representantes do Ceará e do Maranhão. Ainda em Brasília, os gestores também foram à embaixada da Rússia.

“Hoje foi um dia muito rico, iniciamos com a estruturação do Consórcio, onde percebi a maturidade e compromisso dos nove governadores com o fortalecimento das ações das gestões estaduais. Depois fomos em grupo visitar duas embaixadas, Rússia e França, onde fomos muito bem recebidos e relatamos os problemas, os avanços e as potencialidades de nossa região. Vi com muita satisfação a preocupação dos representantes internacionais com o meio ambiente, a Educação, o desenvolvimento econômico, a geração de empregos e energias limpas”, avaliou a vice-governadora Eliane Aquino.

A França deve ser a porta de entrada da missão internacional do Consórcio do Nordeste na Europa. Esta agenda começou a ser construída ainda no mês de junho, quando Rui Costa fez um primeiro encontro com o embaixador francês. O governador baiano explicou ao ministro a formatação do Consórcio. “Queremos fazer compras para uma população de 55 milhões de pessoas, aumentando escala, diminuindo custos e prezando pela excelência dos serviços aos nordestinos”.

A viagem deve acontecer na segunda quinzena de novembro. Nas próximas semanas, a radiografia das potencialidades do Nordeste já estará nas mãos do governo francês para cruzar áreas de interesse. Saúde, meio ambiente, saneamento, energias renováveis já estão na pauta. “Vamos fazer uma agenda em favor do Brasil e em favor do Nordeste”, assegurou Costa.

O ministro se colocou disponível para a construção dessa parceria e quer nova rodada de discussão entre as equipes técnicas, para acertarem os pontos estratégicos para a França e para os nove estados do Nordeste.

Mais ações em Brasília

As atividades do grupo de gestores em Brasília tiveram início na tarde de hoje, após reunião em Salvador, quando lançaram o planejamento estratégico, com a formalização operacional do Consórcio do Nordeste, já registrado sob CNPJ. A comitiva presidida pelo governador da Bahia foi à embaixada da Rússia no Brasil, onde apresentou as potencialidades do Nordeste ao embaixador Serguey Akopov.

O objetivo da visita foi apresentar o órgão e abrir caminho para uma carteira de parcerias – com o governo, empresas privadas e investidores. Conforme Rui Costa, os nove governadores devem ir a Ásia, passando pela Rússia, China e Coréia, no primeiro semestre de 2020. O objetivo é captar investidores e promover integração financeira entre a região e aquele país.

Rússia e Sergipe

No solo russo, ficou acordada a construção conjunta da visita internacional e também uma reunião do Consórcio com Câmara de Comércio, Indústria e Turismo Brasil-Rússia, sediada no Rio de Janeiro, ainda neste ano. “Queremos desenhar este mapa de oportunidades para iniciarmos um relacionamento produtivo do Nordeste com a Rússia”, disse Rui Costa. O embaixador ficou otimista com a iniciativa. “Vamos começar a trabalhar já. É preciso preparar bem esta visita”, pontuou Akopov.

Para o representante do escritório de Sergipe em Brasília, Dernival Neto, a Rússia se destaca como grande parceiro em potencial para o estado. “Particularmente para nós, de Sergipe, a Rússia é uma fortíssima produtora de gás e é muito importante atrair empresas internacionais na área de exploração e do aproveitamento do gás. A Rússia é líder mundial na produção de fertilizantes, e com essa questão do gás, e a possibilidade de expandir a Fafen, faz da Rússia um parceiro importante. A França e a Rússia se prontificaram em estreitar esses laços, e temos que abrir o Brasil para exportações, precisamos seguir esse caminho para gerar emprego e renda para nosso povo”, destacou.

Fonte: Site Política em Foco

Fábio Reis comemora ordem de serviço para duplicar Adutora Piauitinga

“Com essa duplicação, Lagarto vai ter um suprimento de água garantido por mais cerca de 40 anos”, festeja ele. O deputado federal Fábio Reis, MDB, foi ao Palácio de Despacho no final da tarde desta terça-feira, 30 de julho, comunicar ao governador Belivaldo Chagas, e comemorar, a determinação do Governo Federal de dar início à obra de duplicação da Adutora do Piauitinga, que abastece Lagarto e agora será extensiva às cidades de Riachão do Dantas e de Simão Dias.

“Eu me sinto muito contemplado com a sensibilidade do Governo Federal para com esta obra, porque todos nós sabemos que água é saúde e é vida. Tanto eu quanto o governador Belivaldo Chagas agradecemos ao presidente Jair Bolsonaro por entender a importância desse projeto para esta região de Sergipe”, disse o parlamentar à Coluna Aparte.

“Acabei de sair do Palácio de Despachos do Governo de Sergipe. Nós viemos numa luta aí desde 2014, batalhando por esse investimento para Lagarto, que é a duplicação da Adutora do Piauitinga no município. Em nome desse projeto e a propósito desse assunto, já estivemos, inclusive, eu e o governador Belivaldo Chagas, com o próprio presidente Jair Bolsonaro”, relembrou Fábio.

O deputado federal Fábio Reis recebeu um telefonema ministerial confirmando o desembargo de tudo para iniciar os trabalhos. “Graças a Deus, na última sexta-feira o ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, me ligou confirmando que estava autorizando já o início da obra e que tinha acabado de encaminhar para a Superintendência da Caixa Econômica Federal em Sergipe e pro Governo do Estado para começar tudo. Eu quero dizer que fico muito feliz em ter conquistado essa grande obra na ordem de R$ 83 milhões para o município de Lagarto”, anunciou o parlamentar.

“O ministro enviou para mim a AIO – Autorização de Início de Obra -, por ter sido essa obra uma atuação minha, para que a entregasse ao governador Belivaldo Chagas. E aí eu convidei o superintendente da Caixa em Sergipe, Diego Carraro, por ser ele também um proponente, para entregarmos a AIO ao governador do Estado, para que ele já possa dar início à obra. Para mim, essa obra é uma grande conquista do nosso mandato. Com essa duplicação, Lagarto vai ter um suprimento de água garantido por mais cerca de 40 anos. E insisto em dizer que foi diretamente uma atuação nossa, simbolizada em quatro anos de muita luta”, afirma Fábio.

Fábio Reis chama a atenção para o histórico da Adutora Piauitinga, para ressaltar a importância de que ela venha a ser duplicada agora num prazo de dois anos. “Para se ter uma noção da importância dessa obra, a adutora de Lagarto foi projetada no comecinho dos anos 80 para uma cidade com 50 mil habitantes, e levemos em conta que hoje somos 110 mil lagartenses, e com essa duplicação ela vai poder atender entre 180 mil e 200 mil pessoas. A Piauitinga foi inaugurada com a presença do ex-presidente João Baptista Figueiredo e do meu avô Artur Reis, como prefeito”, ressalta o deputado.

“Quero informar eu já tem um desembolso R$ 12 milhões liberados aí para o início da obra. Já está devidamente licitada e a montagem do canteiro de obra começa entre 10 a 15 dias – essa é a previsão da direção da Deso, que já comunicou à empresa vencedora da licitação. Esse canteiro vai ser montado em Salgado, e a água vai ser captada no município de Estância e remetida para Lagarto com beneficiamento dos municípios de Riachão do Dantas e Simão Dias”, diz Fábio.

O parlamentar lembra que a duplicação da Adutora Piauitinga já deveria ter começado. “Na verdade, essa obra era para ter sido iniciada no ano passado. Conseguimos a AIO dela lá no começo de 2018, mas foi quando a Caixa identificou que a Deso tinha vencido a sua concessão com o município de Lagarto. Nós precisávamos renovar essa concessão, que era a de uso e ocupação do solo. Mas o então prefeito Valmir Monteiro não dava de jeito nenhum. Ele só veio conceder em fevereiro agora, um dia antes de ter sido afastado da gestão. Aquilo foi o suficiente para a gente perder o orçamento do ano passado. Foi aí que entramos em campo com um trabalho diferente com o novo Governo e, graças a Deus, deu nesse desfecho anunciado na última sexta-feira pelo ministro Gustavo Canuto”, disse o deputado.

 

Fonte: JLPolítica

Governador anuncia novo presidente da Sergas

O ex-secretário de Saneamento, Habitação e  Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Walmor Barbosa, será o novo presidente da Sergipe Gás (Sergas). O anúncio foi feito na tarde dessa quinta-feira, 25, pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), através do twitter.

Pelo twitter, o governador diz que acabou de convidar o engenheiro para presidir a Sergas e ele aceitou. “Temos muitos desafios pela frente nessa área do gás. Vamos ao trabalho!”, afirmou.

Walmor substituirá Eugênio Dezen, que responde pela empresa desde 21 de maio de 2018.

 

Fonte: http://politicaemfoco.net.br/governador-anuncia-novo-presidente-da-sergas/

Deputada Janier Mota comemora homenagem à vaquejada

Moradora do Sertão Sergipano, a deputada estadual Janier Mota, PR, elencou a preservação das vaquejadas como uma das prioridades do primeiro semestre de seu mandato. Ela apresentou o Projeto de Lei 53/2019 instituindo no calendário oficial do Estado o Dia Estadual da Vaquejada, Vaqueiro, Pega de Boi no mato e Cavalgada.

O PL foi aprovado pelo parlamento na primeira votação e a data instituída para a celebração foi o dia 25 de outubro. “O objetivo foi o de preservar as tradições, a cultura popular em Sergipe”, afirma Janier Mota, que considera as atividades da proposta como manifestação cultural desportiva e tipicamente brasileira, passada de geração a geração há anos.

“As tradições e a cultura popular sergipana serão preservadas, e a geração de emprego, que já ocorre, se dará de forma ainda mais massiva”, ressalta a parlamentar. À Coluna Política & Mulher, no início deste mês, ela falou sobre o motivo de ter feito dessa uma de suas bandeiras de mandato.

“O tema gera emprego e renda para milhares de famílias e eu estou lidando com os interesses da população. No mais, sou uma pessoa de muita fé e confio em Deus para me dar forças nessa missão, que encaro com muito amor, foco e determinação”, assegurou a deputada.

João Daniel é indicado ao Prêmio Congresso em Foco

Com um mandato que tem entre suas pautas o compromisso com a defesa do meio ambiente, o deputado federal João Daniel (PT) é um dos indicados à categoria “Clima e Sustentabilidade” do prêmio Congresso em Foco 2019.

O parlamentar recebeu com muita satisfação a indicação, além de ser mais um estímulo para que sua atuação nessa área siga focada na luta contra os retrocessos que têm sido implementados neste governo.

Nesta edição, a sessão “Clima e Sustentabilidade” foi incluída na premiação para homenagear os parlamentares que têm se empenhado na defesa dos recursos naturais brasileiros, comprometidos com a defesa do meio ambiente. O Partido dos Trabalhadores foi a legenda com mais indicações ao prêmio, com 45 no total, entre deputados e senadores.

De acordo com o deputado João Daniel, nos últimos meses, o meio ambiente sofreu diversos ataques, com retrocessos em diversas políticas ambientais. O posicionamento do governo Bolsonaro ante a pauta ambiental tem gerado repercussão negativa não só no Brasil, mas também em nível internacional.

Adoção de medidas que colocam em risco a Amazônia, liberação e quase 300 tipos de agrotóxicos nesses primeiros meses do ano (alguns deles banidos de países da Europa), mudança nas demarcações de terras indígenas, diminuição nas áreas de proteção e da fiscalização são alguns dos exemplos de como tem se dado a política ambiental do atual governo, tão criticados pelos que defendem o meio ambiente.

“A atuação do nosso mandato abrange a defesa do meio ambiente. Temos buscado ser, dia a dia, combativo nessa área, seja contra os agrotóxicos, contra os retrocessos na política de demarcação de terras indígenas e quilombolas, paralisação da reforma agrária e entrega da Amazônia aos interesses internacionais. Defendemos a importância de um modelo de agricultura sustentável, baseado na agroecologia, que não agrida o meio ambiente e ao mesmo tempo contribua para o desenvolvimento econômico local”, destacou João Daniel.

A seleção para a categoria “Clima e Sustentabilidade” do prêmio Congresso em Foco 2019 considera tanto os posicionamentos na legislatura atual como o histórico de atuação dos parlamentares. A escolha dos vencedores será feita com base em três critérios: voto popular, júri especializado e jornalistas que atuam na cobertura do Congresso Nacional.

A votação online ficará aberta ao público entre os dias 1º e 31 de agosto. O resultado será divulgado no dia 19 de setembro, em Brasília (DF).

A iniciativa tem o apoio do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), organização sem fins lucrativos que agrega ativistas, técnicos, empresários e executivos dos setores privado e público que trabalham em prol da agenda socioambiental.

Epifânio Rocha diz que se for convidado topa disputar Prefeitura de Simão Dias

O empresário Epifânio Rocha, 37 anos, de Simão Dias, é um dos nomes que o prefeito da cidade, Marival Santana, PSC, está colocando entre os pré-candidatos a prefeito pelo seu bloco na eleição do ano que vem.

Epifânio Rocha é neófito nessa coisa de disputas eleitorais, nunca entrou em nenhuma, mas não se acanha diante da possibilidade de vir a ser o nome indicado para concorrer.

“Eu faço parte de um grupo político e estou à disposição para ser votado e para votar. Eu sou do grupo. Se o prefeito me chamar, eu topo, a depender do contexto e se o grupo me aceitar”, diz Epifânio.

“Na verdade, o Marival não tem discutido comigo política neste sentido de sucessão, porque ele tem respeito e aproximação a Belivaldo Chagas e estamos esperando para sentar e discutir os perfis. Creio que ele não vai tocar esse processo à revelia de Belivaldo não”, pontua Epifânio Rocha.

“Mas se depender de mim, eu não fujo. Se o meu nome for o melhor e eu estiver no entendimento dos nossos líderes, aceitarei sim ser candidato”, diz Epifânio Rocha, revelando uma certa identidade própria e maturidade frente aos arranjos políticos.

Nesse aspecto, Epifânio salienta prefere ficar passivo. “Em hipótese nenhuma eu me imponho como candidato. E digo sempre: sou do grupo e estou aqui para votar e ser votado em nome dele. Se decidirem que eu tenho que ir para a rua pedir voto, irei”, revela.

Epifânio é filiado ao PDT. Ele atua há 13 anos no ramo de material de construção, com duas lojas – uma em Simão Dias e outra em Lagarto. Emprega diretamente 46 pessoas.

Epifânio não acha que a política passa vir a atrapalhar sua vida empresarial e nem incomoda com a tocada dos negócios, caso dê os braços à política. Ele tem no irmão, Evilázio Rocha, que toca a parte financeira da empresa, uma espécie de “braço direito”, a quem admite confiança até para empreender as lojas se ele atracar com a política.

“Eu não teria problemas de passar os negócios para ele conduzir”, diz, numa hipótese de se eleger prefeito. Epifânio tem jeito de um bom observador da política. Ele diz, por exemplo, que leu aqui na Coluna Aparte o ex-senador Antonio Carlos Valadares reforçando que até ele próprio seria candidato a prefeito e Simão Dias ano que vem em caso de Cristiano Viana não topar. “Eu vi a matéria do senador Valadares e achei que ele está certo. Tem mais é que valorizar o grupo dele”, disse

Definição sobre reinclusão de estados e municípios na Reforma da Previdência ficou para hoje

Hoje é o prazo final para reincluir ou não estados  e municípios na reforma da Previdência. Foi o  que afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante reunião na semana passada com o relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), e governadores do Nordeste para definir o apoio ou não à reforma.

Essa definição sairá após nova reunião, nesta terça-feira, de Maia com o relator e governadores do Nordeste. Já após o encontro, Moreira deve apresentar uma complementação de voto na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Segundo o presidente da Câmara, a expectativa é que o parecer seja votado na quarta-feira para que, na semana seguinte, comece a discussão no Plenário. Para ele, os governadores precisam se comprometer com a reforma para trazer os votos de deputados ligados a eles e aprovar o texto.

“Nós precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância e colaborem com seus estados. O maior problema agora é organizar quantos votos e quem serão os atores para ajudar a reforma”, disse o presidente. Maia acredita que esse posicionamento a favor da reforma pode até agregar o voto dos indecisos.

O relator da reforma da Previdência está relutante em recolocar estados e municípios na proposta, conforme a encaminhada pelo governo Bolsonaro para o Congresso Nacional, mediante acordo com os líderes dos partidos. Eles defendem que os estados e municípios façam a sua reforma, evitando, assim, um desgaste político em suas bases, uma vez que muitos são pré-candidatos a prefeito em 2020 em seus municípios.

Além disso, servidores estaduais e municipais foram excluídos do relatório de Samuel pela resistência de governadores a declarar apoio à reforma da Previdência e a trabalhar para conquistar votos nas bancadas estaduais.

O governador Belivaldo Chagas (PSD), que é um dos chefes de estado que luta para reinclusão de estados e municípios na reforma, não participa hoje da reunião que será a última tentativa desse pleito. É que ficou acordado na última reunião de governadores que seria formada uma comissão com dois representantes de cada região para os últimos entendimentos dessa pauta com o presidente da Câmara e o relator da proposta de reforma.

Como existe pressão para os governadores conseguirem apoio das suas bancadas na reforma da Previdência, para inclusão dos estados, Belivaldo não teria problema algum em conseguir os votos dos aliados os deputados federais Fábio Reis (MDB), que é o coordenador da bancada; Fábio Mitidieri (PSD); e Laércio Oliveira (PP). Assim como dos adversários deputados Fábio Henrique (PDT) e Bosco Costa (PL), e da senadora Maria do Carmo Alves (DEM). É que nas visitas institucionais que fez aos gabinetes desses parlamentares, em Brasília, todos se colocaram à disposição do governador.

É muito provável que também votem a favor da reforma os deputados federais de oposição Gustinho Ribeiro (SD) e Valdevan Noventa (PSC), e o senador Alessandro Vieira (Cidadania), por virem votando com o governo Bolsonaro. Na reforma, o governador só não deve dispor do apoio dos aliados petistas, o deputado federal João Daniel e o senador Rogério Carvalho, pelo fato do PT ter fechado questão contra a reforma da Previdência.

A nenhum deles Belivaldo chegou a pedir apoio à reforma da Previdência. Vai aguardar a reinclusão ou não dos estados e municípios na proposta. Não quer queimar cartucho antes do tempo…

Fonte:  http://www.politicaemfoco.net.br