Menu

PM mata mulher e depois se suicida em apartamento na Grande SP; filha fica ferida

Segundo a PM, criança de 9 anos, com um ferimento no rosto, saiu na rua chorando e contando que os pais tinham sido baleados.

O sargento da Polícia Militar, Antônio Carlos Sassá dos Santos, atirou na mulher, Rose Adriana Lemes dos Santos, e depois se matou em um apartamento de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (14). A filha do casal, de 9 anos, ficou ferida.

Ainda de acordo com a PM, a criança de 9 anos saiu na rua chorando e gritando dizendo que os pais tinham sido baleados no apartamento que fica no condomínio Estrada de São Francisco, no Jardim Três Marias. A criança estava ferida no rosto e foi levada a um hospital, onde deve passar por cirurgia. Ela não corre risco de morte.

De acordo com informações passadas pela Polícia Militar, o homem completaria 12 anos na corporação e está descartada a possibilidade de briga antes dos sete disparos: dois atingiram a mulher, um a filha e com outro ele cometeu o suicídio.

A perícia deixou o local por volta das 10h. Há carros da PM, Bombeiros, Guarda Municipal e ambulâncias no condomínio.

Segundo os vizinhos, a família vivia no condomínio há, pelo menos, quatro anos e que “eram tranquilos”. Os próprios moradores prestaram os primeiros socorros à menina, que estava muito ensanguentada e em choque.

“A cena indica um homicídio, uma tentativa de homicídio e posteriormente um suicídio. A cena indica isso, mas a apuração vai continuar para que nós possamos evidenciar todos os detalhes. Em princípio a ordem foi essa, mas nós ainda precisamos de mais informações. Agora nós iremos buscar informações com a criança, se ela estiver em condições de dar informações nesse primeiro momento”, afirmou o delegado Ronald Nascimento.

Veja a nota da PM:

“A Polícia Militar lamenta profundamente o fato ocorrido na manhã dessa quarta-feira (14), na qual foi acionada para atendimento de ocorrência de disparos de arma de fogo na Estrada São Francisco, em Taboão da Serra. No interior de um apartamento, foi constatado a morte de duas pessoas, do sargento A.C.S.S. pertencente ao 1º BPM/M e de sua esposa. A filha do casal de nove anos de idade, foi ferida por disparos de arma de fogo na região da boca e dos braços, sendo socorrida ao PS do Hospital Geral de Pirajussara.

Preliminarmente tem-se que após uma briga, o autor efetuou disparos na direção de sua esposa, da filha e se suicidou. A Ocorrência está sendo apresentada no 1º DP de Taboão da Serra.”

Feminicídios

Um estudo feito pelo Ministério Público revela que 45% dos casos de feminicídio no estado de São Paulo ocorrem por separação ou pedido de separação. O levantamento “Raio X do Feminicídio” mapeou onde, quando e por que esses crimes acontecem.

Feminicídio é o termo usado para o assassinato de mulheres por causa do gênero – ou seja, a mulher é morta, geralmente pelo namorado, marido ou ex-companheiro, por ser mulher e não conseguir se defender.

Segundo o “Raio-X do Feminicídio”, em São Paulo 45% dos crimes ocorreram por separação ou pedido de separação, 30% por ciúmes ou posse e 17% em meio a uma discussão.

A pesquisa feita pelo Núcleo de Gênero do Ministério Público analisou 364 casos de feminicídio em 121 cidades no estado de São Paulo, incluindo tanto os casos em que as mulheres foram mortas pelos agressores, quanto aqueles em que elas sobreviveram, mas havia vontade dos agressores de matá-las.

Por André Graça, José Carlos Moraes e Isabela Leite, TV Globo, G1 SP e GloboNews (Foto: Reprodução Rede Globo)

 

Related Posts

LEAVE A COMMENT

Theme Settings