Menu

Bombeiros civis querem a criação da lei municipal e cooperativa em Estância

Projeto de Lei a ser votado, prevê obrigatoriedade na contratação de bombeiros civis em locais com alto fluxo de pessoas e locais considerados de riscos.

Bombeiros civis foram à Câmara Municipal de Vereadores de Estância na tarde desta terça-feira (10) pedir que estabelecimentos e grandes eventos sejam obrigados a contratar seus serviços para garantir, desta forma, que todas as exigências de segurança sejam cumpridas.

Na sala de reuniões o vereador da bancada do governo Edivaldo Souza Santos (Edivaldo da Praia – SD), disse que abraçou o projeto e vai dar continuidade e assistência no que for preciso: “Estamos nessa luta por uma categoria de extrema importância para nosso município e essa reunião marca o inicio de uma luta constante para que o projeto de lei e a criação da cooperativa sejam aprovados o mais breve possível por essa casa e consequentemente pelo executivo”. Disse Edivaldo.

O representa da categoria, Bombeiro Civil Leonardo Costa, explicou que Estância conta com mais de 50 bombeiros civis certificados, sendo que apenas 10% desses profissionais estão atuando no mercado de trabalho.

Segundo Washington Reis que também é instrutor de legislação ele afirma que a realidade já começa a mudar no Estado e no município de Estância: “. Em Sergipe, a regulamentação está faltando apenas a aprovação do veto pelo Governador Belivaldo Chagas, o projeto de autoria do Deputado Estadual Georgeo Passos já foi lido na Alese e tudo indica que o projeto de lei PL 04/2017 seja sancionado ainda este mês, tudo isso graças ao nosso sindicato que atua incansavelmente nessa luta, aqui em Estância a importância da criação de uma lei municipal será de extrema importância sem contar do desejo enorme dos profissionais que estão na luta para a criação de uma cooperativa que irá prestar serviços na região. Contudo existem diversos locais como shopping, eventos com grandes circulações de pessoas, indústrias e áreas consideradas de riscos que nós bombeiros civis são responsáveis pelos serviços de prevenção a incêndios, checagem dos sistemas de segurança e extintores, portas corta-fogo e, se necessário, combate a incêndios em fase inicial, além de retirada de pessoas e primeiros socorros, só alertar que a lei federal já existe mas os estabelecimentos ignoram”. Lembrou BC Reis.

Para avaliar o grau de risco para cada local, explicou ele, existe a norma 14608 da ABNT NBR, de 2007.

“O Bombeiro Civil não quer apenas trabalhar em shows e festas nos finais de semana, a necessidade da presença deste profissional é diária nas grandes empresas e em razão da obrigatoriedade, nós queremos apenas o cumprimento da lei” pontuou Leonardo Costa.

Vereadores da bancada do governo municipal e oposição também comentaram sobre ambos os projetos e disseram aprovar a ideia.

Por: Washington Reis / SERGIPE REPÓRTER

Related Posts

LEAVE A COMMENT

Theme Settings