Menu

Tentativa de fuga de presos termina com 21 mortos na região metropolitana de Belém

Um agente penitenciário foi morto; cinco presos e 15 pessoas suspeitas de dar cobertura à fuga também morreram. Caso aconteceu no Complexo Prisional de Santa Izabel.

Uma tentativa de fuga em massa de presos terminou com 21 pessoas mortas na tarde desta terça-feira (10) na região metropolitana de Belém, segundo o governo do Pará. As mortes ocorreram no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP III), no Complexo Prisional de Santa Izabel. Um grupo armado tentou invadir o local para dar cobertura à ação.

Os mortos são um agente penitenciário, cinco presos e 15 suspeitos de tentar invadir o presídio para apoiar a fuga, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) do Pará.

(Correção: a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) do Pará informou durante a tarde que 23 pessoas morreram na ação – um agente, 14 presos e oito suspeitos de tentar invadir o local. A secretaria corrigiu os dados e informou que 21 pessoas morreram: um agente, cinco detentos, e 15 suspeitos de invasão. A informação foi corrigida às 19h30)

Pelo menos outros cinco agentes de segurança ficaram feridos. Quatro seguem internados – um deles foi levado para cirurgia e seu estado grave. O número de presos feridos ainda não foi informado.

Autoridades faziam uma revista e recontagem de presos no início da noite desta terça. A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) ainda não confirmou se houve fuga de detentos na ação.

Relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) feito em fevereiro deste ano alertou para o risco de “resgate realizado com apoio externo” no CRPP III. Em fevereiro, a unidade tinha 52% mais presos do que a capacidade: havia 660 detentos para 432 vagas, afirma o CNJ. As condições da prisão são “péssimas” e “inaceitáveis” para um presídio de segurança máxima.

O caso ocorre um dia após uma chacina que deixou 12 mortos na Grande Belém.

Troca de tiros

Segundo a Segup, um grupo fortemente armado tentou invadir a prisão por volta das 13h para dar apoio à fuga dos presos. Foram utilizados explosivos contra um dos muros do solário do Pavilhão C na tentativa de resgate. Além disso, detentos também tinham armas dentro do presídio, segundo a secretaria.

Segundo a Segup, após o uso de explosivos no Pavilhão C houve “intensa troca de tiros” entre agentes do batalhão penitenciário, parte dos presos que tentavam fugir e o grupo que tentou invadir o presídio.

Ao menos sete armas que estavam com os suspeitos que tentaram invadir o centro de recuperação foram apreendidas: 2 fuzis, 3 pistolas e 2 revólveres.

Buscas

De acordo com a Segup, agentes da Companhia de Operações Especiais da PM foram enviados ao complexo para reforçar a segurança do local. Ainda não foi confirmado se houve ou não fuga de presos.

Buscas pelo grupo que tentou invadir o presídio são feitas desde o início da tarde, segundo a secretaria. O governo também iniciou investigações para identificar que grupos agiram na tentativa de resgate, como houve a entrada de armas e como ocorreu a troca de tiros.

O delegado Rodrigo Leão, diretor da Seccional de Santa Izabel do Pará, está com equipe policial acompanhando a situação, além de duas equipes da Divisão de Homicídios e uma da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

Casos recentes

Em janeiro deste ano, houve outra tentativa de fuga no mesmo centro de recuperação, durante o banho de sol. Ninguém conseguiu fugir, mas houve um tiroteio entre um grupo armado e policiais.

Em novembro de 2017, outro caso semelhante ocorreu no local: 14 presos conseguiram fugir com o apoio de um grupo de criminososque chegou à unidade prisional por uma área de mata próxima. Também houve troca de tiros.

Por G1 PA, Belém(Foto: Oswaldo Forte/O Liberal)

Related Posts

LEAVE A COMMENT

Theme Settings