Menu

Praça com quase três anos de construída está abandonada em Estância

Praça com quase três anos de construída está abandonada em Estância.

Seis meses depois de ter sido construída, a Praça Walter Cardozo Costa, no bairro Cidade Nova, em Estância, já sofria com o vandalismo por não ter segurança no local. Já se passaram quase três anos, desde a sua construção em dezembro de 2016 e o problema que era para se ter resolvido agora está abandonado.

A praça está localizada na entrada do bairro, considerado um dos maiores de Sergipe, inclusive mais habitado que 27 municípios sergipanos. A Cidade Nova cresce, junto ao desenvolvimento a sua economia local. Um bairro com cara de Cidade que tem a sua própria sustentação e praticamente sua independência. O abandono já chega ao estremo, a praça está depredada e sua estrutura já está com cara de velha.

Esteticamente nem se quer pintura de retoque ou os mínimos serviços públicos estão sendo realizados como mostra as imagens do repórter Washington Reis.

Na época de inauguração, a Prefeitura Municipal de Estância informou que as obras custaram aos cofres públicos cerca de 600 mil reais. O espaço que antes era apenas um terreno se formou na primeira praça moderna com equipamentos de academia ao ar livre, jardinagem, quadra de futebol de areia, gramado entre outros elementos que fez a entrada do bairro ganhar vida. Seus postes altos e bem iluminado deu mais segurança aos moradores que necessitam praticar suas atividades de lazer e esportiva, e que também precisam ao retornar de seus trabalhos ter pelo menos a sensação de segurança.

Uma das moradoras lamenta.

“Pra nós, moradores aqui do bairro é de extrema tristeza e decepção a gente ver o dinheiro público ir pelo ralo. Um projeto que foi construído para nós e que aos poucos está desaparecendo, a gente vê que é outra realidade. A gente vê os bancos quebrados, a praça se deteriorando por ela mesma, sozinha, não temos culpa se o vândalo passou por aqui, mas o Poder Público Municipal tem que ter a consciência que a manutenção é uma obrigação dele”, afirma a moradora.

A praça foi inaugurada no dia 22 de dezembro de 2016, já no final do mandato do ex-prefeito Carlos Magno Costa Garcia e foi parte do Programa de Governo que visava o desenvolvimento através do Programa Reconstruindo Estância e foi construída em uma área de 4.222 m², batizada com o nome de Praça Valter Cardoso Costa em homenagem ao saudoso prefeito Dr. Valter.

O Projeto

O projeto urbanístico do arquiteto estanciano Greydson Moisés, que em sua visão buscou o resgate social, através de ações desportivas e de lazer, de um equipamento urbano com áreas de caminhada, corrida, atividade física pontual (movimentos) e terápica por meio de academia ao ar livre com aparelhos de alongamento e simulação de cavalgada hoje está nessa situação.

Segundo informações técnicas, a Praça dispõe de 1.400 m² de passeio desempolado, 154,00 m² de piso tátil, 1.007,50m² de passeio da cor ocre envolto a 1.547,00m²de grama adornadas com palmeiras imperiais e herbáceas formando o paisagismo do empreendimento que culmina em uma quadra de vôlei de areia dotada de alambrado, rede e poste oficial para vôlei.

Esta foi uma obra executada com recursos do Governo Municipal prevista com uma despesa de R$ 610.710,66 tendo sua conclusão limitada a um investimento de R$ 494.305,59.

O projeto previa ainda uma segunda etapa, dando continuidade a reconstrução da Praça Padre Lourenço que fica logo mais a frente.

Os políticos só lembram da Cidade Nova em época de eleição.

“O nosso bairro deixa de ser uma prioridade quando passa as eleições, a gente está cansado de tantas promessas, já basta a entrada do nosso bairro que na época deixaram atravessar a mureta, isolando a gente como se estivessamos na China, não sei se posso confiar mas nesses políticos que só vem aqui em quatro e quatro anos, muito difícil”. Lamentou o Sr. João Marcolino, morador do bairro.

Falando em palmeira Imperial, essas foram decepadas, arrancada pela raiz. Obviamente que foram os vândalos. Mas se não tem segurança nas praças, os criminosos vão agir, por esse e outros motivos já não adianta o discurso de querer enganar o povo com esse papo furado porque não vai reformar porque no dia seguinte os vândalos retornam e quebram os bancos. O discurso correto é reformar o mais breve possível, manutenção tem que ser feita e ponto final.

Por: Washington Reis / SERGIPE REPÓRTER

Related Posts

LEAVE A COMMENT

Theme Settings