Menu

Definição sobre reinclusão de estados e municípios na Reforma da Previdência ficou para hoje

Hoje é o prazo final para reincluir ou não estados  e municípios na reforma da Previdência. Foi o  que afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante reunião na semana passada com o relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), e governadores do Nordeste para definir o apoio ou não à reforma.

Essa definição sairá após nova reunião, nesta terça-feira, de Maia com o relator e governadores do Nordeste. Já após o encontro, Moreira deve apresentar uma complementação de voto na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Segundo o presidente da Câmara, a expectativa é que o parecer seja votado na quarta-feira para que, na semana seguinte, comece a discussão no Plenário. Para ele, os governadores precisam se comprometer com a reforma para trazer os votos de deputados ligados a eles e aprovar o texto.

“Nós precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância e colaborem com seus estados. O maior problema agora é organizar quantos votos e quem serão os atores para ajudar a reforma”, disse o presidente. Maia acredita que esse posicionamento a favor da reforma pode até agregar o voto dos indecisos.

O relator da reforma da Previdência está relutante em recolocar estados e municípios na proposta, conforme a encaminhada pelo governo Bolsonaro para o Congresso Nacional, mediante acordo com os líderes dos partidos. Eles defendem que os estados e municípios façam a sua reforma, evitando, assim, um desgaste político em suas bases, uma vez que muitos são pré-candidatos a prefeito em 2020 em seus municípios.

Além disso, servidores estaduais e municipais foram excluídos do relatório de Samuel pela resistência de governadores a declarar apoio à reforma da Previdência e a trabalhar para conquistar votos nas bancadas estaduais.

O governador Belivaldo Chagas (PSD), que é um dos chefes de estado que luta para reinclusão de estados e municípios na reforma, não participa hoje da reunião que será a última tentativa desse pleito. É que ficou acordado na última reunião de governadores que seria formada uma comissão com dois representantes de cada região para os últimos entendimentos dessa pauta com o presidente da Câmara e o relator da proposta de reforma.

Como existe pressão para os governadores conseguirem apoio das suas bancadas na reforma da Previdência, para inclusão dos estados, Belivaldo não teria problema algum em conseguir os votos dos aliados os deputados federais Fábio Reis (MDB), que é o coordenador da bancada; Fábio Mitidieri (PSD); e Laércio Oliveira (PP). Assim como dos adversários deputados Fábio Henrique (PDT) e Bosco Costa (PL), e da senadora Maria do Carmo Alves (DEM). É que nas visitas institucionais que fez aos gabinetes desses parlamentares, em Brasília, todos se colocaram à disposição do governador.

É muito provável que também votem a favor da reforma os deputados federais de oposição Gustinho Ribeiro (SD) e Valdevan Noventa (PSC), e o senador Alessandro Vieira (Cidadania), por virem votando com o governo Bolsonaro. Na reforma, o governador só não deve dispor do apoio dos aliados petistas, o deputado federal João Daniel e o senador Rogério Carvalho, pelo fato do PT ter fechado questão contra a reforma da Previdência.

A nenhum deles Belivaldo chegou a pedir apoio à reforma da Previdência. Vai aguardar a reinclusão ou não dos estados e municípios na proposta. Não quer queimar cartucho antes do tempo…

Fonte:  http://www.politicaemfoco.net.br

Related Posts

LEAVE A COMMENT