Menu

Mais de 83% das indenizações do DPVAT em Sergipe vão para acidentes envolvendo motociclistas

Das 3.585 de indenizações do Seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT), pagas entre janeiro e outubro em Sergipe este ano, 83,43% foram para acidentes envolvendo motociclistas. Os dados são da Seguradora Líder, responsável pelo seguro.

No dia 12 de novembro, foi publicada no Diário Oficial da União a medida provisória nº 904, que extingue o DPVAT. Ela vale por seis meses e, para continuar depois desse período, precisa ser aprovada pelo congresso nacional em até quatro meses. Acidentes ocorridos até 31 de dezembro de 2019 serão cobertos pelo seguro.

Em número de indenizações do seguro DPVAT, Sergipe fica na 21ª posição entre os estados brasileiros mais o Distrito Federal. Em relação ao Nordeste, o estado é o segundo com menos indenizações pagas, ficando à frente somente de Alagoas.

Depois dos acidentes com motos, os envolvendo carros foram os que mais receberam indenizações do seguro.

Destino das indenizações do DPVAT em Sergipe
Acidentes com motos: 83,43 %Acidentes com carros: 11,35 %Acidentes com caminhões: 2,26 %Outros: 2,96 %

Acidentes com motos
83,43 %
Fonte: Seguradora Líder

DPVAT

DPVAT é um seguro obrigatório que cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médicas e suplementares por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o país.

Qualquer pessoa que sofreu um acidente de trânsito, seja pedestre, motorista ou passageiro, pode receber o seguro. Ele cobre despesas médico-hospitalares e dá indenização por morte ou invalidez permanente. A proteção é assegurada por um período de até 3 anos.

Dos recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 50% vão para a União, sendo 45% para o Sistema Único de Saúde (SUS) para custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito, e 5% são para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para investimento em programas de educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os outros 50% são direcionados para despesas, reservas e pagamento de indenizações às vítimas.

Segundo a Seguradora Líder, de janeiro a outubro deste ano, a parcela destinada ao SUS totalizou R$ 852,4 milhões e, para o Denatran, R$ 94,7 milhões. Nos últimos 11 anos, essa contribuição soma mais de R$ 37,1 bilhões.

Por G1 SE / Foto: Eliana Nascimento/G1/Arquivo

Related Posts

LEAVE A COMMENT