Ex-prefeito de Estância avalia gestão de Gilson Andrade como caótica

Ex-prefeito de Estância avalia gestão de Gilson Andrade como caótica

Depois de 130 dias de silêncio, respeitando o início da gestão do atual prefeito de Estância, Gilson Andrade (PTC), o ex-prefeito Carlos Magno Costa Garcia (PSB), decidiu romper o silêncio e conceder entrevista na tarde de hoje, dia 11, ao programa "Dia a Dia Notícias", apresentado por Dussantus, da rádio Mar Azul FM.

O gestor aproveitou o espaço e fez uma avaliação da administração atual, como também uma análise da sua pré-candidatura a deputado estadual nas eleições de 2018.


Na oportunidade, o ex-prefeito Carlos Magno disse em sua análise criteriosa, que para falar da gestão atual é preciso falar da gestão anterior. O ex-gestor lembrou que durante 2013 a 2014, sua gestão foi perfeita, com dinheiro em caixa. Já 2015 a 2016, a crise foi tremenda e abrangente.


“Mesmo com toda crise que a prefeitura passou. Nós terminamos o mandato sem dever a nenhum servidor. Nem salário e nem décimo terceiro. As rescisões, eu não paguei porque não tinha dinheiro em caixa. Nós estávamos esperando o recurso da repatriação, que só foi creditado na conta da Prefeitura no início da noite do dia 30 de dezembro, véspera de ano anovo e uma sexta-feira”, disse Carlos Magno.


O ex-prefeito afirmou que entregou a prefeitura ao novo gestor, de forma organizada financeiramente, deixando mais de R$ 15 milhões de reais em caixa, sendo que mais de R$ 10 milhões de verbas carimbadas e pouco mais de R$ 4 milhões para livre utilização por parte do atual gestor.

Frota da prefeitura


Para Carlos Magno, existe uma frota de veículos no galpão da prefeitura que é preciso ser renovada, veículos até de ex-gestores estão no local. “Na minha gestão, a prefeitura adquiriu 55 novos veículos. A frota precisa sim ser renovada. A Cidade Nova tem que ter sua estrutura própria, a região da praia também tem que ter sua estrutura própria de veículos”.


Durante a entrevista, o ex-gestor fez duras críticas à gestão do prefeito Gilson Andrade, intitulando a administração de caótica, sem nada. As denúncias sobre a atual administração também foi exibida, a exemplo de imóvel alugado a servidor público, folha de pagamento 2016 foi excluída do portal, duas inelegibilidades com empresas diferentes (sem haver competição), contratação de apresentação artística em período de emergência, despesas empenhadas retroativamente e outras.


“É uma administração muito caótica. Estância, infelizmente vai sofrer um preço muito caro. Por essa falta de incompetência, experiência e humildade”, disse CM.

Subvenção


O tema subvenção foi citado pelo ex-prefeito Carlos Magno. Segundo ele, o processo da subvenção continua e o atual gestor vai ter problema. “Nada acabou. Vêm aí surpresas maravilhosas. Somos oposição e tenho que ser respeitado também”.

Eleições


Sobre o pleito de 2018, Carlos Magno relatou que fará uma pesquisa e se o seu nome tiver bem, estará à disposição do partido para uma pré-candidatura a deputado estadual. “Minha administração como deputado será com muita lisura e sem problema de subvenção”, afirmou o Magno.

Obras


Sobre as obras do município de Estância, Carlos Magno espera que Gilson der continuidade às obras deixadas pela administração passada e que possa realizar uma grande administração, até melhor que a do ex-gestor.


Ao final da entrevista, Carlos Magno, acompanhado da esposa Dayse Garcia e de admiradores, agradeceu o espaço do programa e aos ouvintes que participaram.

Da Gazeta de Estância.com.br

back to top