Trabalhador cai do teto da Casa da Cultura em Estância Featured

Trabalhador cai do teto da Casa da Cultura em Estância

O acidente foi registrado por volta das 13hs, deste sábado, 13.  Um homem conhecido por Genivaldo, que estava trabalhando com uma equipe, na retirada de umas ferragens da parte superior da Casa da Cultura, lamentavelmente veio a cair do teto desse imóvel no interior do prédio público.

Na queda de uma altura de aproximadamente 15m a vitima caiu no interior do prédio e foi socorrido por uma equipe do SAMU – Serviço de Atendimento Médico de Urgência 25 minutos após o ocorrido. De acordo com o SAMU apesar do susto e do impacto a vitima estava consciente e foi encaminhada ao Hospital Dr. Jessé de Andrade Fontes onde deverá passar por uma avaliação médica.

A informação é que os homens que estavam trabalhando na obra para a retirada das ferragens na parte superior do prédio da abandonada Casa da Cultura iniciaram suas atividades na sexta (12). Uma equipe da SULGIPE – Cia Sul Sergipana de Eletricidade fez o trabalho de prevenção desligando a rede elétrica local para que os trabalhadores retirassem toda estrutura de ferro na parte superior evitando o choque elétrico.

O trecho que fica enfrente da Casa da Cultura estava interditado para a realização das atividades.

Um dos assessores da Prefeitura de Estância (Breno Vitor) esteve no local e prestou assistência em seguida fez o acompanhamento a vitima até o Hospital Jessé Fontes.

De acordo com informações colhidas no local o homem havia amarrado sua corda de segurança em uma estrutura qual cedeu e o mesmo caiu direto ao chão. Outra informação é que o trabalhador estava equipado de EPI – Equipamento de Proteção Individual utilizado para profissionais que trabalham em altura.

Analisando o cenário por mais uma vez a Prefeitura de Estância não fiscaliza e acompanha esse tipo de serviços em altura no qual deveria minimamente ter um contratado um técnico em segurança no trabalho para realizar todas analises preliminares de riscos e cobrar ou garantir ao trabalhador as condições de segurança. Esse profissional serve para orientar, informar sobre os riscos existentes no ambiente de trabalho, informar os trabalhadores sobre como eliminar ou neutralizar esses riscos antes de executar qualquer atividade. Independente se a vitima era prestador de serviço ou não a Prefeitura deve sim fiscalizar suas estruturas e acompanhar todos os trabalhos. Se há uma preocupação do gestor quanto a esses tipos de trabalho já deveria está em alerta quando na semana passada um jovem do Município de Santa Luzia do Itanhi que trabalhava na pintura do Coreto da Praça Barão do Rio Branco caiu de um andaime e veio a falecer. Obviamente que a empresa que presta serviços a qualquer órgão é responsável por equipar seus trabalhadores de equipamento de proteção individual. O importante é que o homem sobreviveu a uma queda de uma altura considerada de alto risco a vida e que agora é aguardar que os prestadores de serviços e a Prefeitura de Estância convoque o pessoal que está nesse tipo de atividade para uma reunião mudando inclusive a sua maneira de trabalhar. O que não dar é para ficar como está, famílias sem respostas, pessoas morrendo por falta de orientação e segurança de quem quer que seja e o Ministério Público tem que solicitar imediatamente um profissional da área para analisar esses dois últimos acidentes na Cidade de Estância.

Após o acidente o andaime foi desarmado e os funcionários foram dispensados das atividades deste sábado (13).

Completamente abandonado

Observando toda estrutura do prédio da Casa da Cultura lamentar o Poder Público Municipal não limpar o ambiente de trabalho para executar tal atividade como essa deste sábado.

Adentrando no interior do prédio um cenário de destruição, um local de alto risco, placas de gesso que estão se desprendendo das paredes, fiações totalmente destruídas, vidraças quebradas, piso com fezes e urinas humanas, uma catástrofe, odor insuportável que infelizmente deveriam no mínimo limpar e higienizar o ambiente antes de iniciar os trabalhos.

Por: Washington Reis / SERGIPE REPÓRTER

back to top