Administrador busca soluções para o estádio Francão e pede parceria junto ao município. Uma história de ruínas e conquistas

Administrador busca soluções para o estádio Francão e pede parceria junto ao município. Uma história de ruínas e conquistas

A Secretária Municipal de Defesa Social e Cidadania de Estância Georlize Teles visitou na manhã desta terça-feira (14) as instalações do Estádio Estadual Governador Augusto Franco “francão” para atender ao pedido do atual administrador Djalma Alves Martins dos Santos “Djalma do Coqueiro” que pede segurança e povoamento no interior e entorno da maior praça esportiva do Sul Sergipano.

De acordo com Djalma os vândalos destruíram algumas instalações e furtaram as fiações elétricas causando prejuízos ao estádio.

“Solicitei a visita da secretária Georlize aqui no estádio para ela conhecer nossa realidade e tentar junto ao Governo do Estado e com a Prefeitura Municipal de Estância a vinda de alguns órgãos para o interior do Francão como, por exemplo: a base do SAMU ou do 2º GBM/CBMSE que estão em prédios alugados ou de órgãos municipais com o objetivo de manter a estrutura ocupada, povoando e dando vida ao nosso estádio. A possibilidade de reforçar a segurança em torno do estádio, principalmente durante o período noturno em que as ações dos vândalos são maiores e o monitoramento via câmeras de segurança para que possamos manter o nosso patrimônio esportivo em boas condições de uso para todos. Quero aqui agradecer ao Vereador Sérgio da Larissa, ao radialista Adriano Alves, ao desportista Fábio Francão e a secretária por estarem aqui comigo acompnhando os nossos trabalhos”. Disse Djalma.

Na companhia do administrador o incansável desportista Fábio Emanuel que foi o protagonista da ação movida contra o Estado em 2011 para a reforma, voltou a questionar o porquê do estádio não está povoado por órgãos do município ou do próprio estado.

“Estamos entristecidos pelo cenário do nosso estádio, infelizmente os vândalos são marginais que se aproveitam da ausência da segurança para praticarem crimes contra o patrimônio público e se não houver segurança lamento que nunca teremos um estádio pronto e sempre que surgirem as competições seremos cobrados pela população, principalmente pela apaixonada torcida do canarinho do Piauitinga. O estádio Francão tem uma estrutura moderna que foi recém-formada ainda no Governo Marcelo Déda Chagas, porém ficou por muitos anos abandonado e parte de suas instalações foram danificadas por falta de segurança. 2011 foi um ano em que conquistamos na justiça a reforma do Francão foi quando reunimos a imprensa local e alguns desportistas entramos na justiça contra o Estado. Na ocasião o Ministério Público através da promotora do Patrimônio Público de Estância, Dra. Carla Rocha Barreto de Almeida contribuiu para que logo o Governo do Estado fizesse a reforma. A mesma acatou essa ação impetrada por nós e logo a reforma foi realizada”. Disse Fábio Emanuel.

Para Washington Reis, que na época era instrutor de atletismo e que também participou da reunião junto ao Ministério Público povoar o estádio é uma medida inteligente, porém estudar a melhor forma de administrar nesse momento é mais importante.

“Povoar o interior do estádio é uma medida importante mais alguns órgãos podem atrapalhar ao invés de ajudar. O administrador sabe da realidade do estádio e não é preciso maquiar esse triste momento que o Francão atravessa, é muito visível que uma nova vistoria e reforma seja realizada urgentemente para quando tudo isso passar, “a pandemia” e logo ali em 2021 o estádio possa está pronto para os possíveis jogos do Campeonato Sergipano de Futebol como algumas partidas de outras competições. Esse não é o palco que nós estancianos estamos acostumados com a nossa torcida lotando as arquibancadas e torcendo com muito orgulho pelo nosso Canarinho. Seria esse exato momento que teria que iniciar uma reforma. Paralelo ao abandono existe essa onda de insegurança nas redondezas do estádio. Moradores da Rua João Passos de Souza já fizeram diversas reclamações sobre a atuação desses vândalos em torno do estádio e que amedrontam a população que mora nas proximidades. Nosso estádio teria que ser algo maior do tamanho de sua tão apaixonada torcida como por exemplo a sua área externa que deveria acrescentar algo útil para a população como a construção de uma praça de academia ao ar livre, pavimentação, urbanização, sinalização e criar um marketing diferenciado. Teria como a própria Secretaria de Esportes do município povoar o estádio inclusive aplicando atividades de atletismo, caminhadas na pista, danças entre outras ações em parceria com o próprio governo. Sobre o gramado a minha opinião é que o novo administrador analise bem os jogos de peladas de fim de semana e de competições esportivas. Deve ter um espaço de tempo importante para que o gramado esteja sempre apto a realização das partidas oficiais da Federação Sergipana de Futebol e Confederação Brasileira de Futebol e tente junto ao município uma parceria de manutenção. Algum tempo, não lembro bem a data que os Bombeiros Civis conversaram com a Secretaria de Estado de Esportes para ocupar uma das salas do estádio em troca os bombeiros civis disponibilizaria um efetivo para atuar em jogos oficiais, inclusive para evitar a interdição de partidas oficiais já que a lei federal 11.901 diz que é obrigação do clube mandante arcar com as despesas e contratações dos profissionais mais o projeto não foi adiante”. Explicou Washington Reis.

O que disse a secretária

“Recebi com muito satisfação, por parte do Diretor do Estádio Augusto Francão, o convite para visitar a praça desportiva e apontar contribuições no tocante a segurança do Estádio. Aceitei o convite, e tive a alegria de conhecer o espaço e sugerir a implantação de algumas medidas de segurança que entendo necessárias para harmonia e segurança naquele espaço desportivo. O pontapé inicial é dar vida a localidade, ou seja, fazer com que o ambiente seja povoado. Entretanto, no momento atual, face a pandemia, isso não será possível. Em razão disso, sugeri ao Sr. Dijalma a adoção de medidas de intervenções de curto prazo, mais simples, e que podem ser adotadas no atual período. O mesmo ouviu atentamente e informou que vai levar as sugestões para a superintendência de Desporto do Estado, que é o órgão responsável pelo Estádio. As parcerias com outros órgãos devem ser iniciadas em outro momento. Aproveito e destaco que sempre estaremos dispostos a  contribuir naquilo que for de nossa competência”. Disse Georlize.

EX-ADMINISTRADOR BETO DO BOTEQUIM DEIXOU O CARGO A DISPOSIÇÃO

O último administrador foi o jovem Carlos Alberto de Melo “Beto do Botequim” que deixou o cargo a disposição.

Ele contou que deixou o cargo a disposição por uma questão politica e que seguirá em um novo projeto.

“Não pertenço mais ao grupo do parlamentar e por isso estou deixando meu cargo a disposição para seguir em outro projeto”. Declarou Beto.

37 ANOS DE RUÍNAS E CONQUISTAS

O Estádio Governador Augusto Franco é um estádio de futebol que pertence ao Governo do Estado e tem capacidade para 8.000 pessoas. Foi inaugurado no dia 5 de março de 1983.

Em uma partida inaugural entre os times locais do Santa Cruz e Estanciano, num jogo que terminou com a vitória do time do Santa Cruz pelo placar de 1x 0, com gol histórico marcado pelo atacante Edmundo, mais conhecido como “Negão de Bela” sobre o goleiro Nelson”.

REFORMA

A reforma custou aos cofres públicos um investimento superior a R$ 4 milhões de reais, a estrutura do estádio foi completamente renovada para garantir uma acomodação segura e confortável para um público de até oito mil pessoas, incluindo as arquibancadas, setores de cadeiras, área vip, cabines de transmissão para a imprensa, banheiros masculinos e femininos adaptados para portadores de necessidades especiais, dentre outras conquistas.

O QUE FOI REFORMADO

O estádio teve completamente reformadas a Tribuna de Honra, cabines de rádio e seus respectivos sanitários; recuperação estrutural em toda área de concreto do Estádio (marquises e acessos a geral e arquibancadas); recuperação das fossas, de parte das paredes do subsolo com execução de contrafortes e estacas; dos banheiros do pavimento térreo e subsolo.

Além disso também conta com novas instalações elétricas e hidro-sanitárias; esquadrias de madeira e ferro; gramas em placas na área de jogo; irrigação do campo com aspersores; nova subestação e iluminação do campo; poço artesiano e reservatório de 10.000 litros; placar eletrônico, catracas e alambrados.

CONQUISTA NA JUSTIÇA

Depois de vários anos de abandono e de denúncias feitas por desportistas e alguns membros da imprensa local. O Ministério Público através da promotora do Patrimônio Público de Estância, Dra. Carla Rocha Barreto de Almeida ficará na história pela grande contribuição na reforma do Estádio. A mesma acatou uma ação impetrada pelo desportista Fábio Emanuel Silveira Oliveira, mais conhecido como Fábio Francão, que inclusive participou dessa visita junto com a secretária e o administrador atual Djalma do Coqueiro, um lutador incansável em defesa de melhorias para as praças esportivas e de vários assuntos de interesse da população, e ajuizou uma ação civil pública contra o Governo do Estado e o Município de Estância, obrigando o Estado a reformar o mesmo.

JOGO HISTÓRICO

Na noite de 6 de março de 2011 a cidade de Estância, foi destaque nacional, com a realização do jogo entre o time local do Boca Júnior contra o time do River Plate da cidade de Carmópolis, válido pelo campeonato sergipano. Um clássico “genérico” argentino, que tem sido comentado até pela imprensa Argentina.

A REDENÇÃO DO FUTEBOL DE ESTÂNCIA

Depois que foi restaurado e reinaugurado no dia 11 de março de 2011, a cidade de Estância teve um crescimento muito grande no futebol profissional. Surgiu então o time do Boca Júnior que passou a rivalizar com o Estanciano Esporte Clube e as torcidas dos dois times passaram a frequentar essa praça esportiva e deu uma nova vida ao nosso futebol.

PALCO DE GRANDES JOGOS ESTADUAL E NACIONAL

Foi nesse chamado “caldeirão” que o Canarinho do Piauitinga fundado em 14 de junho de 1956 teve momentos de grandes jogos e chegou a disputar competições regionais, Copa do Nordeste e a Copa do Brasil como o grande jogo contra o Atlético Paranaense e recebeu Sergipe e Vitória da Bahia em uma tarde inesquecível. Aqui teve até futebol Americano.

VOCÊ SABIA? TRAGÉDIA A CAMINHO DO PAULO BARRETO

O Estanciano Esporte Clube já sofreu várias derrotas, tomou várias goleadas, daquelas de doer na alma do torcedor apaixonado, uma delas foi Estanciano 2 x 9 Sergipe, mas nenhuma pode ser comparada à tristeza provocada pelo fatídico acidente automobilístico ocorrido no dia 20 de abril de 1979.

Os jogadores, comissão técnica e torcedores seguiram para Lagarto no início da noite e na BR 101 Km 137, nas imediações do Posto das Mangueiras (hoje em ruínas) o veículo Chevette, dirigido por Nadinho (filho de Dona Margarida do Hotel D. Bosco), colidiu com um caminhão tanque que coincidentemente tinha como condutor um estanciano de nome China.

Há 32 anos já no ano de 2015, Canarinho deixava o troféu escapar em jogo decisivo contra o Confiança. Duelo ocorreu na penúltima rodada do triangular do Estadual.

Talvez, a oportunidade de reescrever a história. Depois de 32 anos, quis o destino que o Estanciano reencontrasse o Confiança, após o trauma daquele revés de 30 de novembro de 1983.

UM ESTANCIANO QUE NÃO SAI DA MEMÓRIA

Dois grandes momentos assim o torcedor do Estanciano, viveu, bem pertinho do título estadual. Um comandado por Renato Silva na década de 80, com um vice-campeonato estadual, em 1983, o mais doloroso para o torcedor canarinho. Em 2015, com Sidney, o ex-jogador, o clube chegou a outra final, não tinha realmente um time para ser campeão, apesar da boa campanha. Quantos anos se passarão novamente para que o torcedor volte a ver seu time numa final ou mesmo conquistar o tão sonhado título? Com a atual estrutura, nunca! Infelizmente.

Por: Clara Reis – SERGIPE REPÓRTER / (Foto: Reprodução/Gazeta de Sergipe, GloboEsporte, Sergipe Repórter, Jário Recordes).

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by