Sergipe Repórter

Aliança entre Mitidieri, Belivaldo e André Moura está quase consolidada

Durante entrevista na SIM FM de Carmópolis, nessa quinta-feira (22), para o radialista George Magalhães, o pré-candidato a governador, deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), fazia a defesa de um projeto de lei de sua autoria, quando foi questionado por um ouvinte sobre uma possível aproximação de seu agrupamento com o do ex-deputado federal André Moura. Na oportunidade Mitidieri não “titubeou” em sinalizar para a possibilidade de uma aliança de olho nas eleições de 2022.

Fábio Mitidieri pontuou que André Moura tem conversado bastante com diversas correntes políticas no Estado, inclusive com o senador Rogério Carvalho (PT), que também deve disputar o governo, mesmo sem o apoio do agrupamento liderado pelo “galeguinho” Belivaldo Chagas (PSD). Mitidieri enfatizou ainda que Moura precisa construir dentro do seu grupo uma pré-candidatura para deputado federal ou para senador, mas deixou claro que não existe qualquer impedimento por parte do governo.

Analisando o cenário político de Sergipe, dos últimos anos, e diante de uma oposição “vaidosa” e que não se une, considerando ainda a liderança de Mitidieri e André, além do próprio governador, sobre mais de 80% dos prefeitos sergipanos, fica difícil compreender outro cenário que não seja de “favoritismo” para a continuidade do projeto governista nas eleições do próximo ano. Este colunista não está aqui para defender “A” ou “B”, mas para externar que essa é uma constatação, uma realidade…

Com a chegada de André Moura na base do governo Belivaldo Chagas, a oposição em Sergipe tende a ficar com o Cidadania do senador Alessandro Vieira ainda mais isolado. A grande questão é saber se o Partido dos Trabalhadores terá coragem de entregar os cargos e secretarias que possui na estrutura do governo para apresentar uma candidatura própria, mesmo com o apoio do presidenciável Luiz Inácio Lula Silva (PT). A eleição nacional, historicamente, pode até influenciar, mas não decide os pleitos em Sergipe.

Ainda na entrevista a George Magalhães, Mitidieri explicou que as divergências que construiu com André Moura sempre foram “localizadas”, em alguns municípios onde eles tinham candidatos próprios para prefeito, mas que em muitos outros já sobem no mesmo palanque. Fábio disse que não tem nada contra André e que para um entendimento ser formalizado basta apenas o “sentar em uma mesa” e dialogar, lembrando que no 2º turno de 2018, o grupo de André já votou com Belivaldo.

Em síntese, Fábio Mitidieri deixou bem claro na entrevista que já enxerga André Moura e seu agrupamento como já compondo a base do governo do Estado e distante da oposição. Para o deputado e para este colunista, o que falta para esta aliança entre ele, Belivaldo e André é apenas uma formalização dentro de um amplo diálogo com a base governista, ou seja, se vai para deputado ou para o senador, o certo é que é uma questão de tempo para esta composição, quase que consolidada, se tornar real…

Veja essa!

Em entrevista para a SIM FM de Carmópolis, nessa quinta-feira (22), para o radialista George Magalhães, o pré-candidato a governador, deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) praticamente confirmou que o agrupamento do ex-deputado federal André Moura está na base do governo Belivaldo Chagas (PSD).

E essa!

Mitidieri lembrou que, no 2º turno de 2018, o grupo de André já votou a favor da reeleição do governador. Para ele, falta apenas “sentar à mesa” e dialogar com o grupo para formalizar essa aliança. “Não vejo nenhum impedimento vindo do governo para essa composição”.

Câmara ou Senado

Ainda na entrevista Fábio Mitidieri disse que a construção depende apenas de André Moura se será candidato a deputado federal ou a senador no próximo ano. André, Mitidieri e Belivaldo lideram mais de 85% dos prefeitos sergipanos.

Por Habacuque Villacorte I Portal Alô News

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?