Sergipe Repórter

Bombeiros Civis de Sergipe alertam para prevenção de afogamentos em piscinas

Bombeiros Civis Profissionais em Sergipe alertam sobre os cuidados necessários a serem tomados para evitar afogamentos, principalmente para as crianças, ao utilizar piscinas.

Essa orientação ocorre, pois, diante dos casos que tem preocupado principalmente os condomínios na capital e também com as pessoas que estão mais em casa aumentando a frequência de banhistas em piscinas privadas. O alerta também se deu após um bebe de apenas 1 ano e 8 meses ter se afogado em uma piscina de sua casa e ter uma parada cardíaca em Aracaju. De acordo com informações o bebe continua internado na UTI pediátrica do Hospital de Urgência João Alves.

Para evitar essas situações e garantir a diversão de todos, é sempre recomendável que as crianças apenas utilizem a piscina com a supervisão de um adulto, para que dessa forma, em caso de incidentes, o responsável consiga buscar ajuda o quanto antes e, caso tenha o conhecimento, prestar os primeiros socorros.

Também é importante ressaltar que existe em algumas piscinas o agravante da sucção, visto que alguns ralos podem sugar cabelos, roupas e até mesmo membros do corpo. Esses fatores também podem ocasionar o afogamento.

Além disso, para os momentos em que a piscina não está sendo utilizada, é importante proteger a área em seu entorno com cercas ou grades que contornem o perímetro. A utilização de lonas de proteção bem instaladas para cobri-las também é recomendada, visto que dessa forma será possível evitar a submersão acidental das pessoas.

De acordo com o Bombeiro Civil Profissional Elias Andrade, nessas situações todo o cuidado é pouco.

“Apesar dos acidentes serem mais comuns com as crianças, é importante que todos, independentemente da idade, tenham consciência desses perigos. Principalmente porque em momentos de lazer é comum que as pessoas fiquem mais dispersas e, numa distração, a vida de alguém pode ser perdida – lembrando que não percebendo qualquer resposta ou sinal, é preciso solicitar ajuda e a reanimação deve ser feita imediata”. Alertou Elias.

“O que os pais devem ficar atentos principalmente na piscina de condomínios é o ambiente. A distância de um pai e o filho é de no mínimo um braço. Nunca pode deixar a criança sozinha ou próxima da piscina que um descuido pode ser fatal. Em caso de afogamento sempre pedir ajuda ao CBMSE pela central 193 ou o SAMU 192”. Completou.

A manobra de reanimação deve continuar até a chegada do socorro.

A contratação do guardião de piscina para o atendimento precoce em situações como essa e a instituição do suporte básico de vida (SBV) – conjunto de medidas e procedimentos que buscam manter a vítima viva até a chegada da equipe de emergência – são fundamentais para salvar vidas e prevenir sequelas.

Washington Reis que também é Bombeiro Civil orienta que condôminos que tem em suas instalações piscina o correto seria a contratação dos profissionais guardiões de piscinas além dos dispositivos de segurança contra incêndio e pânico que alguns ignoram.

O guardião de piscina é de extrema importância para atuar principalmente em clubes e condomínios.

“A piscina do condomínio é uma das atrações mais desejadas pelos condôminos em suas buscas por novos imóveis – Não à toa, em um estado que convive com altas temperaturas ao longo do ano inteiro, a área de lazer deve responder à altura para refrescar e divertir as pessoas – Acontece que a segurança passa a se tornar um assunto tão sério quanto necessário — tal qual a limpeza da piscina. Afinal, o bem-estar e a integridade dos condôminos estão sob a responsabilidade da gestão condominial, que deve adequar suas áreas de lazer de acordo com a legislação vigente – Para tanto, vamos compreender que existe em nosso estado uma regulam

entação que demanda cuidados associados à obrigação de ter equipamentos de primeiros socorros na área de lazer e do guardião de piscina. Na ausência dos materiais, o CBMSE – Corpo de Bombeiro Militar de Sergipe — que cuida do registro e inspeção dos locais — pode vir a interditar a piscina. Imagine o problema se isso ocorre em seu condomínio?” Alerta BC Reis.

“Além do guardião de piscina outros itens que na maioria das vezes são ignorados são as sinalizações diversas, como eventuais alterações na profundidade da piscina, proibições e alertas aos usuários”. Concluiu.

Esse tipo de profissional já se tornou uma obrigação para uso em piscinas coletivas, inclusive, em condomínios. Assim, a importância de um guardião se faz necessária, acima de tudo.

Por isso, pode ser uma boa ideia considerar a terceirização do guardião para ser o profissional que vai tomar conta da área de lazer de seu prédio.

No estado de Sergipe a lei que regula a profissão é a nº 4.699 de 23 de dezembro de 2002 que dispõe sobre a obrigatoriedade de Guardião de Piscina, localizadas em piscinas de clubes e estabelecimentos escolares públicos e privados, e dá outras providências.

Em caso de acidentes, serviços como o SAMU (192) e o Corpo de Bombeiros (199) poderão ser acionados.

(Foto: Reprodução TV SERGIPE)

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?