Sergipe Repórter

Caderno Especial: Estádio ‘Francão’ em Estância comemora 38 anos de fundação. Conheça os personagens desta história de conquistas e ruínas.

Inaugurado na noite de 05 de março de 1983, com grande festa, a solenidade contou com a presença das maiores autoridades políticas, militares e civis do Estado de Sergipe, entre elas a do então governador do Estado, o General Djenal Tavares de Queirós, do prefeito de Estância Dr. Carlos Magno Costa Garcia.

Dia que entra para história do futebol de Estância com o clássico local.

O Estádio Estadual Governador Augusto Franco mais conhecido como “Francão”, atualmente tem capacidade para receber aproximadamente 8 mil espectadores, teve o jogo inaugural entre os times locais do Santa Cruz e Estanciano, num clássico que terminou com a vitória do “Azulão do Piauitinga”, pelo placar apertado de 1x 0, com gol marcado pelo atacante Edmundo Cavalcante, conhecido por “Negão de Bela” sobre o goleiro Nelson dos Santos que após terminar contrato com o canarinho teve passagem por grandes clubes do futebol brasileiro.

Motivação no Futebol Amador e Profissional

O “Francão” motivou o crescimento do futebol amador e profissional de Estância, que viveu grandes momentos com os dois times da cidade, o Estanciano Esporte Clube e o Santa Cruz Esporte Clube, que disputaram partidas inesquecíveis, revivendo a época de ouro do futebol estanciano. Além disso, o estádio ainda é palco para as atividades esportivas amadoras do município.

O Francão era o lazer das quartas e domingo dos estancianos

Em quase todos os jogos realizados no “Francão”, nos seus primeiros anos de existência e ainda nos grandes jogos, os torcedores compareciam sempre em grande número. Os amantes do futebol tinham encontro marcado nas noites de quartas-feiras e como diz o professor Dudu, ‘até gaseavam aulas para assistirem os jogos e aos domingos à tarde após um bom banho de mar nas praias do Abais e Saco, para verem os times da casa em ação’.

O brilho que quase se apagou, um contrato de abandono.

Após alguns anos de glórias, o estádio que se encontrava sob a responsabilidade da Prefeitura Municipal de Estância, através de contrato de comodato, foi abandonado e em pouco tempo estava desfigurado e quase que totalmente depredado, com as cadeiras, instalações hidráulicas, vasos sanitários quebrados e a instalação elétrica que foi arrancada por vândalos e o gramado que logo foi tomado pelo mato.

Década de 90 e a decadência do ‘francão’.

Nos anos 90, período dessa decadência do “Francão”, a imprensa estanciana protestou bastante sobre essa situação enfrentada pelo estádio. No programa radiofônico “Jornal Verdade”, da rádio Jornal FM de Estância, apresentado pelos radialistas Augusto Santos e Magno de Jesus, este último, comentou firme sobre a situação, que inclusive, escreveu uma carta para Albano Franco, governador da época, pedindo-lhe providências para o “Francão”. A reivindicação chegou a sair na Folha da Região e no Jornal A Tarde da Bahia (caderno de Esportes), mas o governador nada fez.

Conquista na Justiça e um inquieto desportista entra em ação

Depois de vários anos de abandono e de denúncias feitas pela imprensa e por desportistas, o Ministério Público, através da promotora do Patrimônio Público de Estância Dra. Carla Rocha Barreto de Almeida, acatou uma ação civil pública impetrada pelo desportista Fábio Emanuel Silveira Oliveira, mais conhecido como Fábio Francão (um lutador incansável em defesa de melhorias para as praças esportivas e de vários assuntos de interesse da coletividade), e ajuizou uma ação contra o Governo do Estado e o Município de Estância, obrigando o Estado a reformá-lo. Alguns anos se passaram e Fábio Francão é ainda um jovem inquieto e o maior vigia do maior templo esportivo do centro sul sergipano. Sonha ele que este importante estádio de futebol sempre esteja em boas mãos e que suas instalações sejam preservadas além da sugestão de que povoar esta praça seria sem duvida uma alternativa para que a população estanciana pudesse usufruir dos espaços que o estádio tem em seu interior como a pista de atletismo e repartições que poderiam funcionar órgãos do estado e do município dando vida ao Francão.

“Sou um lutador frequente para que nosso francão esteja sempre bem cuidado e sempre que vejo que as coisas não estão bem em relação ao zelo por essa praça eu entro em ação e bom seria se neste município tivesse outros desportistas que realmente lutassem com afinco porque o governo investiu R$ 4 milhões na reforma e não é justo o Francão está com está aparência de estádio velho, é o nosso dinheiro que é gasto com a reforma e ficar calado vendo nosso palco de grandes acontecimentos sendo esquecido não vou ficar”. Disse Fábio.

Reconhecimento do ex-governador Déda e do secretário de esportes da época.

Em uma entrevista especial sobre os 38 anos do estádio francão que foi ao ar na tarde desta sexta-feira (05) na rádio Esperança FM de Estância, ancorado pelo radialista Ferreira Santos. O ex-secretário de Estado de Esporte Mauricio Pimentel recordou o grande feito na reforma do estádio já em 2011 e da luta do desportista Fábio Emanuel para que o governo de Sergipe reforma-se imediatamente a praça de esportes. Lembra ainda que na época o governador Déda em uma solenidade em Estância chamou Fábio para o seu palanque e disse bem alto “aqui em Estância não teve uma pessoa que defendeu mais essa bandeira do que o jovem Fábio Francão”.

Áudio do ex-governador Marcelo Déda

Áudio do ex-secretário de Estado de Esportes Mauricio Pimentel

“Quando assumir como secretário de esportes do Estado logo nos primeiros dias de trabalho recebi em meu gabinete um oficial de justiça que em mãos estava com uma ação civil que foi movida pelo Fábio Francão e dizer que esse importante momento em 2011 marcou não só a minha vida como a história do futebol sergipano”, brincou Pimentel.

Sonho realizado

Finalmente o sonho dos desportistas estancianos foi realizado com a reinauguração do Estádio no dia 11/05/2011, com a presença do governador do Estado, Marcelo Déda Chagas, que não mediu esforços para que a reforma fosse realizada, um grande feito do seu governo para o esporte sergipano e para o povo de Estância.

Mais um jogo pra galeria

A cidade de Estância, foi destaque nacional no dia 05 de março de 2013 com a realização do jogo entre o time do Boca Júnior que na época estava sediado no município contra o time do River Plate da cidade de Carmópolis, válido pelo Campeonato Sergipano. Um clássico “genérico” argentino, que foi comentado até pela imprensa Argentina.

A Redenção do Futebol de Estância

Depois que foi restaurado e reinaugurado, a cidade de Estância teve um crescimento muito grande no futebol profissional. Surgiu então o time do Boca Júnior que passou a rivalizar com o Estanciano Esporte Clube e as torcidas dos dois times passaram a frequentar essa praça esportiva e deu uma nova vida ao nosso futebol sem contar com sua gigante torcida canarinho shop.

O canarinho voo, voo mais não chegou ao tão sonhado título de campeão sergipano.

Em um momento oportuno, o Estanciano foi vice-campeão estadual disputou a competição regional, Copa do Nordeste, o Campeonato Sergipano e a Copa do Brasil. O time da casa “Estanciano” que levou seus grandes públicos para o estádio é o principal protagonista dessas emoções que trouxe vitórias mais também derrotas daquela de doer na alma. Esses dois objetos de lazer dos estancianos não sai da memória de muitas personalidades que já tiveram o gostinho de pisar no maior palco esportivo do Centro Sul Sergipano.

Dois grandes momentos assim o torcedor do Estanciano, viveu, bem pertinho do título estadual. Um comandado por Renato Silva na década de 80, com um vice-campeonato estadual, em 1983, o mais doloroso para o torcedor canarinho. Em 2015, com Sidney o clube chegou a outra final, não tinha realmente um time para ser campeão, apesar da boa campanha. Partidas que lotaram o Francão com torcida eufórica nos dois lados das arquibancadas. Era a festa das torcidas com charangas, hinos e a pressão saudável daqueles que gostavam de levar a família para assistirem as mais belas partidas de futebol.

Na partida inaugural daquele ano de 1983 os personagens da festa narram o gol e o pênalti perdido no clássico local entre o Estanciano e Santa Cruz.

Goleiro Nelson dos Santos que sofreu o primeiro gol no Francão e que na época defendia as cores do Estanciano recorda a origem do gol marcado por Nego de Bela do time do Santa Cruz e detalha a partida histórica contada até hoje.

Como nasceu o gol?

O gol nasceu de uma cobrança de falta do jogador Cecé do Santa Cruz e na trajetória até o gol a bola desviou em Almeida e em seguida caiu no pé de Nego de Bela que ainda no alto girou e acertou o canto esquerdo de Nelson.

“Naquela época eu era o goleiro titular do Estanciano e Nego de Bela acertou de cheio. Na zaga a gente tinha Ruí, Almeida, Lima e Julival, o meio campo estava escalado Carlinhos, Wilson, Élio Jorge e Iauca e no ataque Neguinho e Roberto”. Comentou Nelson.

Após a sua passagem pelo estanciano Nelson brilhou em grandes times nacionais como o Santos de Caculé, Jequié onde foi campeão baiano, atlético de Alagoinhas, Desportiva Vitória do Espirito Santo, Americano de Campos no Rio, Vitória da Bahia, Fluminense de Feira, Operário de Várzea grande do Mato Grosso. Nelson também foi administrador do Estádio Francão.

Nego de bela foi o herói daquela partida inaugural e hoje com 69 anos de idade com alguns problemas de saúde relembra do gol que aconteceu ainda no primeiro tempo.

      

“Foi um jogo que não sai da minha memória, um clássico de detalhes e sem muitas oportunidades de gol, mais me coloquei bem dentro da área e na cobrança de falta cobrada por Cecé do nosso azulão, enchi o pé com a bola ainda no alto, acertei o gol abrindo o placar aos 36 minutos do 1º tempo – O time do Santa Cruz retornou para o segundo tempo um pouco defensivo e aos 42 desta etapa Iacu do Estanciano nosso adversário naquele jogo sofreu um pênalti cobrado por Julival que por nossa sorte mandou para fora o que impediu do canarinho empatar aquela eletrizante partida. Narrou Nego de Bela.

Em meio às pesquisas encontramos uma figura ilustre da época; João Evangelista, conhecido como Tarati, treinador do Santa Cruz, time vitorioso.

Assessor da FSF fala da importância do Francão e de seu público histórico

“Hoje dia 5 é uma data importantíssima quando o Francão completa 38 anos de fundação – O maior templo do futebol no Centro-Sul de Sergipe e que após a reinauguração o estádio também recebeu seu maior público da história com 7.525 espectadores em uma partida em que o River Plate de Carmópolis que não existe mais goleou o time do Estanciano pelo placar de 6 à 0”. Lembrou Reginaldo Gouveia, Assessor de Comunicação da Federação Sergipana de Futebol.

Clique aqui para ouvir o áudio de Reginaldo Gouveia

Uma luz no fim do túnel e a espera por dias melhores

De acordo com informações da Superintendente de Esportes do Estado – Mariana Dantas em entrevista realizada nesta data de 5 de março de 2021 ela falou dos tópicos importantes questionados por nosso portal via whatsapp.

Entrevista com Mariana Dantas I Superintendente de Esportes

Existe a possibilidade do Governo do Estado realizar a restauração do estádio ainda este ano?

Desde que assumimos a gestão da superintendência há menos de 2 anos, temos feito manutenção constante em todas as praças esportivas que está sob esta administração. Ocorre que, em muitos espaços, como é o caso do Francão, faz-se necessário, mais do que manutenção, mas uma reforma mais ampla. O levantamento já foi realizado, estabelecemos prioridades e estamos captando recursos para colocar o plano em ação.

O governo tem um projeto de reforma? Se tiver, há uma previsão de quanto será gasto nesta possível reforma total ou parcial do estádio?

 Já fizemos o levantamento e estabelecemos prioridades, assim que concluirmos, será divulgado.

A senhora não acha que este é um momento oportuno por conta da pandemia, restaurar o sistema elétrico do ‘francão’ que por mais uma vez teve suas instalações elétricas furtadas comprometendo inclusive os refletores e placar eletrônico?

Não é apenas restaurar o que foi furtado, quando se há um vandalismo na parte elétrica, meche com todo o sistema elétrico, precisando muito mais que apenas a troca de fios, que aliás já foram feitas por diversas vezes. Quanto a aproveitar o tempo da pandemia para fazer esses reparos, seria ótimo, mas não podemos esquecer que, justamente por causa da pandemia, nossos esforços se voltaram para o combate à COVID em todas as esferas. Inclusive com aquisição de equipamentos de proteção e sanitização, além de estratégias para dar continuidade ao esporte que foi tão afetado. Ressalto ainda que entre 2020 e 2021 estão sendo investidos mais de 10 milhões em infraestrutura esportiva em Sergipe a exemplo do Ginásio Constâncio Vieira, Estádio Paulo Barreto de Menezes, Estádio Adolfo Rolemberg, Campo de futebol em Nossa Senhora de Lourdes, etc.

O governo chegou a conversar com a Federação Sergipana de Atletismo sobre uma possível reforma da pista de atletismo do estádio com piso sintético para possíveis competições estaduais e nacionais serem realizadas em Estância?

Idem a resposta anterior em relação ao levantamento feito. Quanto a Federação Sergipana de Atletismo, temos uma parceria salutar, mas a entidade não possui recursos financeiros para tal finalidade. Estamos em tratativas também com o governo federal.

A superintendência tentou buscar parcerias com empresas, instituições parceiras do governo para ajudar na restauração do estádio?

Esse é o maior interesse do governo! Acontece que por sermos uma instituição pública governamental, não podemos “escolher” parceiros. Existem os instrumentos legais que impedem muitas parcerias.

Quais são os projetos que a superintendência está planejando ou já tem guardado para o retorno das atividades esportivas em nosso estado?

Desde o início da pandemia nos preocupamos em manter a chama do esporte e da atividade física sempre acesas.  Uma das nossas prioridades foi a capacitação profissional.

Antes da pandemia foram realizados os seguintes cursos de formação profissional:

  • Lançamento dos 37º Jogos da Primavera no Colégio Estadual
  • Vôlei de Praia em Itabaianinha com 30 participantes
  • Badminton em Aracaju com 40 participantes

Durante a pandemia demos continuidade com as ações virtuais:

  • Torneio Karatê Virtual Escolar
  • Festival de Ginástica Rítmica Escolar Virtual
  • Desafio de Judô Virtual
  • SUPER Desafio Virtual
  • Torneio de Xadrez Escolar Virtual
  • Seminário do mês do Profissional de Educação Física

O futebol profissional ter retornado também abriu as portas para que demais modalidades se adaptassem a exigência dos novos protocolos e fossem retomadas e contaram com todo apoio da superintendência. Distribuímos kits compostos de álcool em gel, termômetro infravermelho e máscaras a todas as federações esportivas do estado. Desde o início do ano estamos conversando com os novos prefeitos e secretários municipais de esporte para identificar as principais necessidades de cada cidade e região para atuarmos em conjunto.

Quais são as modalidades esportivas que por ordem dos decretos sanitários ocorrerão primeiro em Sergipe?

Todas aquelas que se adaptarem aos protocolos sanitários e com menores chances de risco de contágio.

Sobre as competições de ciclismo em nosso estado o que tem dialogado com o presidente da federação Jairo sobre o retorno das atividades?

A Federação Sergipana de Ciclismo é outra parceira da SUPEE e estamos mantendo diálogo com todas as federações, lembrando que elas são regidas pelas confederações nacionais. Esse é um momento de somação de esforços. Primeiramente pela vida e depois às nossas atividades. O esporte em Sergipe não ficará relegado. Estamos atentos a tudo que podemos fazer com cautela e planejamento.

Sobre as corridas de ruas que cresceram muito em nosso estado a senhora tem conversado com o presidente Orliandes Barros sobre o calendário e se ainda haverá competições este ano em especial a Corrida Cidade de Aracaju que está prevista para o segundo semestre?

A corrida Cidade de Aracaju é organizada pela prefeitura de Aracaju. Não estamos no momento de pensarmos em eventos com aglomerações. O que estamos sempre recomendando a toda população é que pratiquem atividade física, independente das competições existirem ou não. A prática regular da atividade física é determinante para uma boa qualidade de vida e manutenção da saúde.

Quais as ações que a superintendência tem a propor para a cidade de Estância?

Estância é uma cidade estratégica e sempre está em nossos planos para propagação do esporte. Um exemplo é a parceria com o Comitê Olímpico do Brasil e a Vice-governadora Eliane Aquino, onde estamos trazendo um curso de capacitação de profissionais da área esportiva e educacional, que visa trazer mais qualidade no ensino e treinamento para nossos alunos-atletas. Além do fomento ao esporte na cidade de maneira geral.

O estado planeja organizar um campeonato estadual entre municípios?

Sim. O campeonato está todo montado esperando o momento adequado para colocarmos em prática. Será um campeonato de futebol amador masculino e feminino em todo o estado e dividido por regiões a exemplo do que fizemos em 2017 com a Copa Aperipê do Baixo São Francisco onde envolvemos 16 municípios daquela região.

O Governo é conhecedor das riquezas naturais de nosso litoral como nossas praias de Japaratuba, Atalaia, Caueira, Abais e Indiaroba que sempre organizaram de fato suas competições a nível municipal como o Beach Soccer, Futevôlei e vôlei de praia. A superintendência já pensou na realização dessas modalidades dentro de um projeto Verão com sedes nas regiões litorâneas de nosso estado?

Já sim. Havia uma previsão para executarmos em parceria com a secretaria de turismo, mas foi adiado por causa da pandemia. Estamos reavaliando a possibilidade de fazermos algo menor em cada localidade.

No dia 11 de março de 2011 o estádio foi totalmente reformado após uma ação na justiça e anos depois caiu novamente em decadência e chegamos a 2021 com sua estrutura física aparentemente escassa. Há previsão de quando o governo de fato vai no mínimo realizar alguns reparos nas estruturas, principalmente a sua fachada, letreiros, arquibancadas, bancos de reservas, portas dos tuneis entre outros?

É determinação do governador Belivaldo Chagas colocar nossas praças esportivas em plenas condições de uso. Estamos realizando processos internos para viabilizar a execução de pequenas reformas, reparos e manutenções mais efetivas.

Fale um pouco de sua trajetória no esporte como carateca e no comando de outras repartições esportivas?

Bem… comecei o karatê aos 7 anos e pratico até hoje. Enquanto atleta profissional, sou Faixa Preta 2º Dan de Karatê, atleta da Seleção Brasileira de Karatê de 2000 a 2010 e campeã mundial em 2002 (Birmingham/ Inglaterra), além de campeã sul-americana e vice pan-americana. Como atleta amadora já treinei outras modalidades como a natação, vôlei, tae-kwon-do, remo, etc e atualmente a corrida, onde coleciono 4 maratonas.

Sou graduada em licenciatura plena em Educação Física pela Universidade Tiradentes, pós-graduada em Administração e Marketing Esportivo pela Gama Filho, e mais recentemente conclui o curso em Gestão Esportiva Avançada do COB, galgando o 1º lugar entre 38 participantes de todo Brasil, que representavam renomadas entidades como a Confederação Brasileira de Vôlei, de Judô, Ministério da Defesa e da Cidadania, entre outros. Tenho muito orgulho desse trabalho pois teve como tema o “Desenvolvimento e Implantação do Planejamento Estratégico da Superintendência Especial de Esporte de Sergipe”.

Pela terceira vez assumo um cargo público, já que a primeira experiência foi como coordenadora de esportes de Alto Rendimento na Prefeitura Municipal de Aracaju onde me orgulho de ter elaborado e executado a primeira edição do Bolsa-Atleta Aracaju e a Feira de Artes Marciais, sob a gestão do então secretário a época o deputado federal Fábio Mitidieri. Em 2017 assumi como diretora de Esportes no Governo de Sergipe e desde abril de 2019 estou como superintendente especial de esporte com a missão de desenvolver  o esporte em nosso estado proporcionando oportunidades, formação cidadã, respeito, sentimento de coletividade e promoção da saúde.

Mariana, qual mensagem a senhora deixa para os desportistas de Estância nesta data importante em que o francão, maior templo esportivo do Centro Sul sergipano completa 38 anos?

O Francão é uma das nossas principais praças de esporte. Dias gloriosos já foram vividos lá dentro trazendo alegria para o povo estanciano e de toda região. Estamos empenhados em trazer melhorias e vamos fazê-la. Temos muito zelo pelo patrimônio público e a importância do Francão é indiscutível. Parabéns a todo povo de Estância!

Situação atual do Francão

O Estádio está atualmente sob a administração da Superintendência Estadual de Esportes, que em parceria com a Federação Sergipana de Futebol tem feito muitos esforços para deixá-lo em boas condições, oferecer mais segurança e conforto e manter seu principal item que é o gramado em condições mínimas para as competições oficiais. Mais pelo visto o Governo de Sergipe ainda não sinalizou que iria realizar qualquer tipo de reforma no estádio que vem sendo cobrado frequentemente pelos desportistas de Estância e que preocupa suas condições físicas mostrada por nossa reportagem neste artigo especial dos 38 anos do estádio.

Painel eletrônico

O Estádio conta hoje com um painel eletrônico moderno, que fornece informações durante os jogos e deixa os torcedores que comparecem muito bem informados. Por conta dos furtos que comprometeram a rede elétrica o sistema parou de funcionar.

O governo da época investiu R$ 4 milhões na reforma do estádio e agora em 2021 já apresenta alguns problemas em decorrência de furtos e descaso.

A estrutura que foi totalmente renovada está há anos sem se quer uma pintura para camuflar, como a fachada principal já sem qualquer manutenção, a arquibancada, cadeiras que estão ressacadas com risco até de acidentes, refletores que desde o furto nunca mais foi recolocado. Já a parte superior sobre as cadeiras como área vip, cabines de transmissão para imprensa, banheiros estão em condições e parece que estes não foram alvo da bandidagem.

De acordo com o atual administrador Djalma Martins o estádio tem condições de jogos oficiais mais que precisa de alguns reparos.

Entendemos o administrador e em parte ele está certo, por outro lado sabemos que está reforma ainda caminha a passos de tartaruga não é bem uma prioridade do Governador de Sergipe Belivaldo Chagas e que neste governo mesmo que ainda os estancianos aguardam por melhorias parece que esse sonho vai ser adiado, pois a justificativa agora é mais uma vez a falta de recursos.

“Desde que assumir a administração do Francão em 2020 que estamos buscando melhorias, o gramado aqui vem sendo tratado todos os dias e o meu dever é manter o nosso estádio conservado, também tenho muita vontade de ver essa praça reformada mais nem sempre as coisas acontecem da forma que esperamos e que hoje o estádio tem condições tranquilas para receber qualquer partida oficial de futebol e que a superintendência tem ciência sobre tudo que se passa aqui inclusive eu tenho buscado parcerias até no quesito segurança porque todos sabem que o problema de furtos aqui no Francão vem de décadas e vamos continuar nossa luta por dias melhores”. Contou Djalma.

Um morador próximo ao estádio afirma que tem muitos anos que não ver algo sendo feito para melhorias e que os serviços que são realizados na praça são apenas rotineiros.

“Quem passa pela frente do estádio tem a impressão de que realmente algo tem que ser melhorado, está com uma aparência velha e comparando a 2011 parece que caiu uma bomba sobre o Francão”. Disse Moises Teodoro.

Estádio sem torcida e a pandemia que não tem dia nem hora para acabar

Sem previsão de quando tudo isso vai acabar é uma sugestão nossa que o governo aproveitasse esses tempos difíceis na saúde pública mundial para iniciar uma reforma no estádio. Saber planejar uma ação para determinada tarefa  não é fácil mais essa é sem duvida uma ótima oportunidade tranquila de realizar a manutenção ou pelo menos os devidos reparos necessários no estádio. Enquanto o time do Estanciano que segue na segunda divisão do Campeonato Sergipano de Futebol não participa de partidas oficiais essa então seria a boa hora para o governo investir na reforma a não ser claro, que não tenha recursos para que isso seja feito.

Informações Técnicas do Gramado e da Pista de Atletismo

O Estádio tem dimensões de 110 x 75m e o tem capacidade para até 8 mil espectadores. Possui uma pista de atletismo fora de seus padrões mais que poderia ser outro item importante a ser observada pela superintenderia e Federaão Sergipana de Atletismo. Uma pista nos padrões oficiais daria aos estancianos mais uma opção de lazer como também a cidade começar sediar as competições estaduais e até nacionais.

Contudo nesta data que não tem a comemorar pelos 38 anos do Estádio Francão os estancianos assim como aqueles apaixonados por esporte continuam aguardando por dias melhores.

Fonte de pesquisa: Folha da Região, A Tribuna Cultural, Gazeta de Estância, Sergipe Repórter, Professor Rubens Marques, Magno de Jesus e Augusto Santos.

Por: Washington Reis I SERGIPE REPÓRTER I Reprodução de áudio I Rádio Esperança FM 92,7

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?