Sergipe Repórter

Caderno Especial: Gigante Santa Cruz de Estância há 60 anos conquistava o penta campeão sergipano

Nossa equipe invade o gramado do campo do Santa Cruz na Vila Operária em Estância para entrevistar um dos ícones importantes da história do azulão do Piauitinga ‘o Santa Cruz Sport Clube’ que nasceu em 1930 sendo penta campeão sergipano de futebol amador.

Foi na casa do Sr. José Félix dos Santos que encontramos uma boa história para falar do Santa Cruz que neste dia 21 de maio de 2021 completa 60 anos do penta campeonato sergipano de futebol amador. Um time sem igual e o papa título da época nos anos 50.

Campo e o surgimento do Santa Cruz

Foi entre os anos de 1930 a 1936 que o campo foi construído na Vila Operária por operários da Fábrica Santa Cruz.

Confira vídeo exclusivo com Zé Félix – Assessor do Azulão da epóca

Após o expediente um grupo de funcionários, amantes do futebol se dirigiam até o terreno do futuro campo e lá trabalhavam na construção que durou quase 6 anos, e já em 1936 o campo foi dado como pronto. Neste mesmo período surgiu o nome do Santa Cruz Sport Clube. A transformação mesmo ocorreu no ano de 1937 quando o Coronel Gonçalo Prado comprou a fábrica ao grupo fundador João Joaquim de Souza Sobrinho e deu de presente ao seu genro, o inesquecível Senador Dr. Júlio César Leite e foi ai que o Santa Cruz foi fundado oficialmente no ano de 1930.

Partida inesquecível

“Eu lembro que aos dez anos, em 1942 quando tive pela primeira vez no campo do Santa Cruz, levado pelo meu pai para assistir o jogo no dia 1º de maio que era a data de aniversario do azulão, o time de Estância goleou o Sergipe pelo placar de 5 a 2”. Lembra Zé Félix.

Na época, diz Zé Félix que o time do Santa Cruz era o papa-títulos do futebol sergipano e tinha muita facilidade de contratar jogadores porque os atletas do time eram funcionários da Cia Industrial da Fábrica. Com a conquista do primeiro título em 1956, o time sequenciou cinco títulos até 1960 se tornando o penta campeão. Em 1961, há exatos 60 anos o Santa Cruz foi vice-campeão sergipano de futebol profissional, já filiado a Federação Sergipana de Futebol.

Com a migração de amador para profissional a era de títulos do azulão terminou. Após essa sequencia de vitórias muitos atletas já cansados e outros que deixaram o time o Santa Cruz se despedia do futebol. Em 1980 o Santa cai para a segunda divisão do campeonato sergipano e superar posteriormente.

Números GE

Em número de títulos estaduais conquistados, o Santa Cruz de Estância (5) só perde para Sergipe (35), Confiança (21), Itabaiana (10) e Cotinguiba (6).

Recomeço

A diretoria conseguiu firmar uma parceria com o América do Rio de Janeiro, trazendo novos atletas para o Azulão do Piauitinga, que voltou para a elite do Campeonato Sergipano, rendendo grandes momentos aos torcedores com embates históricos contra o Estanciano, após a inauguração do Estádio Francão, em 1983.

No ano seguinte, o time foi homenageado com a construção de uma quadra de esportes, durante a gestão do prefeito Dr. Carlo Magno Costa Garcia, em frente à Igreja Nossa Senhora do Amparo. O local recebeu o nome do centro-avante goleador da equipe, que integrou o elenco pentacampeão entre 1956-1960, Alcides José dos Santos (ABC). De forma justa, a homenagem também se estendeu aos principais jogadores do clube que fizeram parte de maior momento de glórias do time, como Augusto, Everaldo, Tarati, Zito, Zé dos Santos, Zezé Oião, Teninho, Valdomiro, ABC, João Cego, Rocha, o técnico Edgar Barreto e o massagista João Enfermeiro. Como tudo o que começa está sujeito a acabar, o Azulão se despediu do futebol profissional em grande estilo, com um terceiro lugar no estadual e uma vitória por 3 a 1 sobre outra equipe azulina, o Confiança.

Hoje em dia, quem quiser reabrir o baú da história para tentar reviver esses momentos gloriosos para o futebol de Estância, pode visitar a biblioteca “União Têxtil”, onde os troféus estão expostos, a Vila Operária e a Quadra de Esportes.

A briga pela filiação na FSF

“Na minha infância fui jogador do azulão no time amador e com isso meu filho Dr. G. Félix até chegou a jogar no time profissional, e dai em diante vieram criar o time profissional já em 1960. Naquela época procuramos a federação mais os times não aceitavam a filiação do Santa Cruz e até que judicialmente lutamos até  ingressar na Federação Sergipana de Futebol.

“O período bom do Santa Cruz foi de 1946 em diante. Em 1942 o Santa Cruz foi desativado porque duas pessoas que tomavam conta, mudou-se e passou três anos sem futebol até que em 1945 o time voltou sendo associado a União Têxtil”. Conta Félix.

Apaixonados do Santa Cruz também criaram competições de jogo de botão com o escudo do azulão e mais tarde criaram um time de veteranos que ainda disputa os campeonatos de futebol amador de quarentões em Estância.

Já o campo do Santa Cruz atualmente está sem atividades, realizando pequenos reparos. Pode servir de palco para os jogos do Estanciano Esporte Clube que vai disputar a segunda divisão do Campeonato Sergipano este ano enquanto o Estádio Francão vai passar por uma reforma. Falando em Francão, foi em sua inauguração em 1983 que o time do Santa Cruz venceu o Estanciano com gol de Nego de Bela sobre o goleiro Nelson dos Santos do Canarinho.

Colaboradores: Historiador J. Cruz, José Félix, Fábio Emanuel

Vídeo: Washington Reis

Números: GE/SE

Produção Especial: Sergipe Repórter Entretenimento

Foto: Arquivo Santa Cruz

Por: Washington Reis

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?