Cantor Belo é preso após show no Complexo da Maré em meio à pandemia

cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso nesta quarta-feira (17) pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro. O artista é investigado pela realização de um show no sábado (13), no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, apesar das proibições devido à pandemia.

A operação se chama “É o que eu mereço”, em referência a uma das músicas do cantor, que chegou à DCOD por volta das 15h30 desta quarta. Na chegada, ele afirmou que precisa “saber o que está acontecendo enquanto achar que cantar e fazer musica é crime”.

Belo foi detido em Angra dos Reis, na Costa Verde. Na produtora Série Gold, que que organizou o evento, foram apreendidos equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos.

Como o evento em uma escola estadual do Parque União não teve autorização das autoridades de Saúde, a polícia também investiga a invasão ao colégio.

Segundo investigadores, as salas de aula do Ciep 326- Professor César Pernetta foram utilizadas como camarotes do show.

Após ter aberto inquérito para apurar as circunstâncias do show de Belo na Maré, a DCOD cumpriu nesta quarta quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão. Uma das buscas foi na sede da produtora Série Gold.

Os quatro mandados de prisão preventiva foram contra:

  1. Marcelo Pires Vieira, o Belo, cantor;
  2. Célio Caetano, sócio da produtora;
  3. Henriques Marques, o Rick, sócio da produtora;
  4. Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União.    

Nas redes sociais, fãs postaram vídeos em cima do palco na hora do show, onde é possível ver uma grande aglomeração.

De acordo com a polícia, todas as pessoas envolvidas no evento serão ouvidas, inclusive o cantor, que será intimado para esclarecer quem pagou o cachê do show.

Belo já foi preso em outras duas ocasiões. O músico foi condenado no dia 30 de dezembro de 2002 a seis anos de prisão, acusado de associação para o tráfico depois de, segundo a polícia, negociar drogas e armas pelo telefone com um traficante. Na ocasião, ficou preso por cerca de um mês e conseguiu, após entrar com um recurso, o direito de responder em liberdade.

O Ministério Público recorreu da decisão e a 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio aumentou a pena do cantor para oito anos. Belo foi preso novamente em novembro de 2004. Ele estava escondido dentro de casa, na Zona Oeste do Rio. Desta vez, passou três anos e oito meses na cadeia.

Informações do G1 Rio de Janeiro

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?