Ciro Pessoa, músico fundador dos Titãs, morre após contrair Covid-19

Ciro Pessoa, músico fundador dos Titãs, morre após contrair Covid-19

Ciro Pessoa, um dos fundadores da banda Titãs, morreu na madrugada desta terça-feira (5), aos 62 anos. A informação foi confirmada por Branco Mello e Sérgio Britto, que junto a Tony Bellotto, ainda fazem parte da formação do grupo.

Segundo Isabela Johansen, ex-mulher do músico, Ciro “estava lutando contra o câncer e nas indas e vindas ao hospital, acabou contraindo Covid-19. Foi internado, mas infelizmente não resistiu”.

“Estou profundamente triste com a partida nessa madrugada do meu irmão, músico, poeta e primeiro grande parceiro, Ciro Pessoa. Foi dele a ideia de reunir os amigos compositores no começo dos anos 80 pra fazermos uma banda de rock. E assim formamos os Titãs.”

“Siga em paz, querido Ciro. Descansa meus olhos, sossega minha boca, me enche de luz …”, escreveu Branco, citando o trecho de “Sonífera lha”, uma das músicas do Titãs que tem Ciro entre os compositores. Ele também assina “Homem primata” junto a Tony Bellotto, Carlos Barmak, Branco Mello e Marcelo Fromer.

Além das composições com os Titãs, Ciro tem mais de 100 obras assinadas por ele, segundo o Ecad. O trabalho mais recente do músico foi com a banda Flying Chair.

“O corpo será cremado e assim que essa fase chegar ao fim faremos um grande show em sua homenagem, pois é isso o que ele queria”, afirmou Isabela.

“Seguimos com força, união e sabedoria. Ciro encontrou sua Sonífera Ilha e deixou para nós um mar de alegria e amor. E, claro, o maior presente que eu poderia sonhar.”

Músicos do Titãs lamentam

Sérgio Britto

“Hoje perdemos Ciro Pessoa, amigo querido e membro da formação original dos Titãs. Muito triste com tudo isso…”

Nando Reis

“E as notícias ruins não cessam, não param de chegar, a cada manhã um golpe, a destruição do que foi construído, as mortes em sucessão velocíssima. Acabo de saber da morte de Ciro Pessoa, membro importante na formação dos Titãs, amigo constante de convivência e conversação na época. São Paulo, era nossa cidade, espaço-lugar para nossa criação e trânsito. Frequentávamos a padaria CPL, ali na João Moura, Ciro sempre com seu casaco verde de brim, Jornal da Tarde embaixo do braço. Ensaiávamos todos os dias juntos fazíamos os backing vocais: eu, Ciro, Branco, Paulo, Arnaldo, Britto. Algumas das músicas mais emblemáticas dessa fase do nosso repertório tinham sua participação: Sonífera Ilha, Baby Índio, Homem Primata, Dona Nenê. Outras, nunca gravadas, mas tocadas em todos os buracos onde nos apresentamos, fazem parte do ideário new-wave que marcou a pré-história do que vieram a ser os Titãs no Iê-iê: Lilian, a Suja; Johny Cristel… Ele se foi, a vida continua, a música é eterna, e a tristeza me invade. Ciro Pessoa, pessoa única, marcou minha vida.”

Por G1 — Foto: Reprodução/Instagram — Foto: Reprodução/Facebook

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by