Sergipe Repórter

Confira programação: Estância se veste de cultura e engalanada festeja 173 anos de elevação

Quem conhece Estância sabe dos seus valores culturais, tradicionais, históricos, não tem dúvida da paixão do seu povo pelas artes.

Pertinho da Capital, a cerca de 68 quilômetros, é dos municípios mais visitados da região; cidade-polo que dá suporte a 11 municípios da região sul, cidade de vanguarda, a exemplo do socorro prestado aos sobreviventes do navio mercante (Baependi) torpedeado pelo submarino alemão U-507 (agosto de 1942), quando os sobreviventes que surgiram na Praia do Saco foram socorridos no HRAM.

Estância de movimento operário que resistiu ao regime ditador de Getúlio Vargas, de movimentos políticos contra a Ditadura Militar; de operários vestidos de azul atuantes nas fábricas têxteis; da primeira Prefeita no Brasil, Núbia Nabuco; de filho embaixador (Raimundo de Souza Dantas), de ministro do STF (Heytor de Souza); Estância também pariu um dos maiores juristas do Brasil, Gumercindo Bessa; Estância que ensinou Sergipe a fazer jornalismo, etc.

Estância é destaque nas festas de momo com suas tradicionais escolas de samba, carnaval de rua, bem como o forte da sua cultura, os festejos dos santos juninos; Estância a cada dia se reinventa e continua a mostrar para o mundo os seus valores artísticos, culturais e políticos.

Estância está à beira de festejar 173 anos de elevação à categoria de Cidade. Outra data sobressalente da sua História é o 25 de outubro quando celebra 190 anos de emancipação política, deixou de ser um puxadinho de Santa Luzia do Itanhy.

É imperativo que as recomendações do protocolo de combate à COVID-19 devam ser cumpridas, Estância não deixa passar em brancas nuvens a data de elevação à categoria de Cidade. A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo, preparou uma brilhante programação cultural, que para evitar aglomeração social, será apresentada na plataforma virtual.

No menu da programação (domingo, 02) estão elencados cantores contemplados pela Lei Aldir Blanc tais como: Irani Brisa Nordestina, Chirlys Trindade, Leanderson e os cabras da Peste, Fabinho do Acordeão, Jorge Maravilha; nos dias seguintes elenca ainda exposição fotográfica, festival de poesia, entre outras atrações.

O prefeito Gilson Andrade, que além de médico obstetra, é músico e afeiçoado pela música nordestina, tem orientado a gestão municipal a dar oportunidade aos artistas locais e, a estes, como forma de apoio neste momento de pandemia, tem os alcançado por meio da Lei Aldir Blanc, logo, proporcionando aos munícipes a oportunidade de assistirem excelentes shows musicais por meio de lives.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE 173 ANOS

*Por Genilso Maximo – Parabólica News

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?