Corpo do repórter cinematográfico Zaqueu Gois é sepultado em Nossa Senhora da Glória

Corpo do repórter cinematográfico Zaqueu Gois é sepultado em Nossa Senhora da Glória

A despedida do ‘poeta da imagens’, como era conhecido o repórter cinematográfico Zaqueu Gois, de 57 anos, aconteceu, no final da tarde desta quarta-feira (4), em sua terra natal, no município de Nossa Senhora da Glória, Alto Sertão de Sergipe, onde o corpo foi sepultado no cemitério da cidade.

Familiares, amigos e colegas de trabalho participaram do enterro do profissional que faleceu na madrugada em um hospital da capital, onde estava internado há cerca de um mês, para tratar de um câncer de próstata já descoberto há 8 anos. Zaqueu Gois era casado e deixa dois filhos.

A jornalista Carla Suzane, que durante anos trabalhou com Zaqueu, destacou algumas características do amigo. “Ficaremos com a grande lembrança desse cara que foi um sujeito fabuloso. Cabra de Nossa Senhora da Glória, um dos melhores que eu já conheci”, disse.

Corpo do repórter cinematográfico Zaqueu Gois é sepultado em Glória

“Zaqueu pintava quadros com aquela câmera no ombro. Ele deixa um grande legado na cinematografia sergipana. Ele fez história em nosso estado”, afirmou emocionado, o colega de profissão Reginaldo Rodrigues.

Zaqueu Gois sempre buscava inovar para levar uma boa imagem aos telespectadores. Nesta foto, de 2012, aparece produzindo uma matéria no Dia de São José — Foto: Anderson Barbosa/G1

Zaqueu Gois sempre buscava inovar para levar uma boa imagem aos telespectadores. Nesta foto, de 2012, aparece produzindo uma matéria no Dia de São José — Foto: Anderson Barbosa/G1

O Sindicato dos Jornalistas profissionais do estado de Sergipe e a Federação Nacional dos Jornalistas lamentaram o falecimento do repórter cinematográfico. As entidades emitiram notas de pesar, em que afirmam que Zaqueu era companheiro, carismático e dedicado à profissão, e ficou conhecido como ‘poeta das imagens’ tamanha qualidade do trabalho com a câmera nos ombros.

Carreira

Zaqueu se aposentou em 2012, com 30 anos de profissão, e deixou sua marca no jornalismo brasileiro, trabalhando na TV Sergipe e em outros veículos da imprensa nacional. Também foi um dos repórteres do programa Globo Ecologia, sucesso na década de 1990. Em 2018, o escritor Euvaldo Lima lançou um livro narrando histórias curiosas e outros fatos da carreira do repórter que foi batizado de ‘poeta das imagens’.

Por G1 SE — Foto: Reginaldo Rodrigues/TV Sergipe

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by