Federação Sergipana de Futebol sugere virada de mesa no campeonato 2020 e clubes acatam

Federação Sergipana de Futebol sugere virada de mesa no campeonato 2020 e clubes acatam

Não basta a pandemia do novo coronavírus que se instalou no mundo inteiro, sendo o pivô de uma série de problemas em todos os segmentos sociais, eis que surge um pandemônio criado pela FSF (Federação Sergipana de Futebol), quando a mesma informa que os clubes rebaixados no campeonato sergipano 2020 (Lagarto e América), serão beneficiados com à permanência no campeonato sergipano de futebol 2021. 

Com essa decisão, a FSF contraria seu próprio regulamento e causa surpresa entre todos. Uma vez que, os clubes foram rebaixados nas quatro linhas, antes mesmo da suspensão da competição. A interrupção do campeonato ocorreu após a primeira rodada do quadrangular final, por conta do surgimento da pandemia do Covid-19.

Não sabendo exatamente quando seria o retorno do campeonato, e tendo que dar uma resposta sobre a continuidade ou não do mesmo, o presidente Milton Dantas, sempre foi contundente quando o assunto era o retorno da competição, afirmando que não iria abrir mão dessa continuidade.

Até aí, tudo bem.

O que não se esperava da parte da entidade é que, o dirigente maior do nosso futebol iria sugerir uma virada de mesa para salvar a pele do Lagarto, em especial, agradando a políticos e dirigentes que viram seu time sucumbir na primeira fase do campeonato.

A alegação do presidente da FSF sobre a virada de mesa vergonhosa, é que a MP 984/2020, que nada tem a ver com o regulamento do campeonato, autoriza as federações a anularem regulamentos, haja vista a MP 984/2020 apenas tratar dos contratos de trabalho e contratos de transmissão dos jogos.

Logo após a decisão da FSF sobre o não rebaixamento do Lagarto e do América, um político da cidade de Lagarto e alguns torcedores do clube se manifestaram através de um vídeo, festejando o que podemos considerar como uma vergonha para o futebol sergipano.

Entendemos que os políticos de Lagarto contribuíram para a reforma do Estádio Paulo Barreto, juntamente com o atleta Diego Costa, do Athletico de Madrid da Espanha, mandatário do clube, visando jogos do Lagarto na primeira divisão do campeonato sergipano 2021. Todavia, com o rebaixamento do clube, o estádio só estaria disponível para jogos do time no segundo semestre, quando começasse a série A2 do Sergipano.

Aí vem a manobra!

Diante de tal feito, já que há muito tempo não se utilizava o Paulo Barreto de Menezes, deixá-lo ocioso, sem jogos do time durante um bom tempo, seria um caos para a agremiação e para a cidade.  

O que uma tratativa política não pode fazer para ajudar um clube que tem um belo CT, um excelente estádio para jogos e uma torcida apaixonada que não quer saber de seu time na segunda divisão?

Então, se não é pelo futebol, é pela conveniência.

Sendo assim, os clubes do Lagarto e América continuam firmes e fortes na primeira divisão 2021, graças à Federação e a complacência dos clubes que apoiaram tal decisão.

Por que os clubes acataram o pedido da FSF?

A resposta é simples. Todos os clubes são gentilmente beneficiados pela FSF, e as benevolências da entidade máxima do futebol sergipano aos clubes, certamente, os credenciaram na votação à favor desse desserviço ao nosso futebol.

Ninguém pode afirmar que o Miltinho e sua equipe não tem feito um excelente trabalho na FSF, no entanto, não podemos negar também que, manobras como essa, sujam a imagem do futebol sergipano e diminuem a credibilidade dessa gestão, deixando o rastro de negror em numa administração que já foi questionada quando antecipou as eleições para o mandato seguinte, sem nenhuma necessidade para tal deliberação, uma vez que a gestão não vinha sendo contestada.

Se o nosso futebol não está nada bem dentro de campo, muito menos fora dele.

Os reflexos da falta de planejamento dos clubes, da falta de uma boa gestão, da falta de transparência, são os reais motivos para que o nosso futebol esteja abaixo da crítica, com exceção, é claro, do Confiança, que ano após ano vem compreendendo que é preciso mudar de mentalidade.

Esperamos que a FSF reveja essa decisão, ou começaremos a pôr em dúvidas o que até agora acreditamos ser politicamente correto na entidade.

Basta ver os escândalos que já ocorrerem no futebol brasileiro, justamente com ações dessa natureza. As viradas de mesas continuam até hoje, sendo marcadas como atos negativos e torpes.

Para um presidente que disse não querer manchar sua gestão com a anulação do campeonato, anular um artigo do regulamento para favorecer o não rebaixamento dos clubes que por incompetência não conseguiram se continuar na primeira divisão, é bem pior ainda.

Fica a reflexão.

Fontre: Adailson cruz

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by