Sergipe Repórter

Hospital de Cirurgia é selecionado para projeto nacional de controle de infecções

O Hospital de Cirurgia foi selecionado para participar do Projeto “Saúde em nossas mãos”, vinculado ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS).

A iniciativa tem como objetivo, dentre outros, reduzir as infecções relacionadas à assistência em saúde de hospitais que atendem pelo SUS por meio, especialmente, da conscientização sobre higienização das mãos.

Com duração prevista de 24 meses, o projeto conta com a participação de 204 unidades de terapia intensivas adultas ou pediátricas de hospitais públicos e filantrópicos de todo o Brasil, sendo quatro de Sergipe, selecionadas a partir de processo de candidatura voluntária.

Serão realizados treinamentos, oficinas e também visitas presenciais pelas equipes dos Hospitais que compõem o Proadi-SUS. Uma das Unidades de Terapia Intensiva do Hospital de Cirurgia será contemplada.

No Cirurgia, a ação será coordenada pela Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH). Para a médica Mariela Cometki, coordenadora do setor, a participação no projeto é mais uma oportunidade de continuar aperfeiçoando o serviço oferecido pelo hospital.

“O controle de infecção associado à assistência à saúde é um trabalho árduo, repetitivo e precisa de muita criatividade e resiliência para conseguir resultados. Ter um hospital de excelência supervisionando nossos processos e nos ajudando a melhorar é uma grande oportunidade de melhoria”, afirma a médica.

A enfermeira Dinah Aparecida, que está à frente da iniciativa, acredita que a participação do Hospital no projeto irá proporcionar uma maior conscientização entre os funcionários. “Esperamos conseguir uma melhor adesão à higienização de mãos por meio das dinâmicas e oficinas que serão realizadas, para que possamos reduzir a taxa de infecção para nossa meta de 5%”, considera.

Para ela, o grande diferencial será a metodologia colaborativa e o compartilhamento de experiências entre os hospitais participantes. “Assim, todos ensinam e todos aprendem, a partir de práticas e vivências prévias em relação a higienização das mãos na prevenção de infecção”, afirma Dinah.

Da Assessoria

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?