Sergipe Repórter

Justiça mantém prisão de motorista que provocou morte de educador físico

O suspeito tinha sinais de embriaguez após o acidente na rodovia estadual

  

A Justiça sergipana manteve a prisão do condutor Júlio da Silva, suspeito de provocar o acidente que matou o educador físico Sérgio Rocha. A prisão em flagrante foi convertida em preventiva durante audiência de custódia realizada na tarde desta quinta-feira (25), na Central de Plantão Judiciário do Fórum Gumersindo Bessa, em Aracaju.

O juiz plantonista, Pedro Rodrigues Neto, apontou o fato de que o suspeito não possui antecedentes criminais e tem residência fixa, mas considerou a soma das penas pelos delitos tipificados no art. 121. caput. do Código Penal (pena máxima: 20 anos de reclusão), c/c o art. 309 do CTB (pena máxima; 01 ano de detenção), situação essa prevista no art. 302. inciso II. do CPP.

Sérgio Rocha seguia para a casa dele no município de São Cristóvão pela rodovia SE-065 (João Bebe Água) quando foi atingido pelo carro conduzido por Júlio da Silva. O educador físico morreu no local, e o condutor tentou fugir do local, mas foi preso em seguida. Segundo a polícia, o suspeito se negou a fazer o teste do bafômetro, mas apresentava sinais claros de embriaguez.

O corpo de Serginho, como a vítima era chamada, foi sepultado na tarde de hoje.

Por Aline Aragão e Will Rodriguez I Foto: Reprodução Tv AtalaiaEdição de texto: Will Rodriguez

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?