Moradores da Cidade Nova reclamam de baderna e barulho na Avenida Jornalista Augusto Gomes

Moradores da Cidade Nova reclamam de baderna e barulho na Avenida Jornalista Augusto Gomes

“A falta de bom senso e educação são os maiores problemas”. Disse o morador.

Os moradores do Bairro Cidade Nova em especial os que residem na Avenida Jornalista Augusto Gomes reclamam dos inúmeros barulhos dos escapes irregulares das motocicletas, da bagunça no trânsito todo fim de semana.

De acordo com um munícipe os motociclistas não respeitam os pedestres e no fim de semana começa a bagunça em toda a Avenida Jornalista Augusto Gomes.

“Isso se tornou uma pista de corrida, lamento muito ter que conviver com esse barulho, com essa baderna aqui na avenida, já teve fim de semana que tive que levar a minha mãe idosa para casa de parentes na zona rural por conta desses problemas que estamos suportando há anos e ninguém faz nada”. Disse à moradora que preferiu não se identificar.

Outro morador também lamentou a desordem no trânsito do bairro e disse:

“Na semana passada estava com a minha família transitando pela avenida e quando estávamos atravessando de um lado para outro um motoqueiro em alta velocidade quase atropelava a gente e assim são os nossos finais de semana, parece que o bairro está sem autoridade”. Lamentou Gerson Farias.

De acordo com Rosivan, outro problema na avenida é a falta de sinalização:

“Esta avenida não tem manutenção há anos, veja que as faixas de pedestres estão totalmente apagadas, falta sinalização, os quebra-molas já não existem e os que têm ninguém ver porque a pintura já apagou”. Comentou o morador.

Sugestão

Na antiga ROME – Ronda Municipal Escolar que estava em funcionamento na Avenida Jornalista Augusto Gomes, desativada recentemente poderia o gestor municipal junto com o Governo do Estado transferir o GETAM do 6º BPM que fica às margens da BR-101 para o referido prédio assim como funciona em outras cidades. O Bairro Cidade Nova cresceu, sua população chega a ser maior que a de 30 municípios sergipanos, a sua economia se alastra em toda a avenida sem contar da tradicional feira aos domingos que atrai milhares de usuários. Já está mais que na hora do bairro ter uma base da policia como era antes e reforçar claro, o policiamento ostensivo nas ruas nunca é de mais.

“Estou impressionada com o nível de bagunça nesta avenida e já é hora de parar com essa patifaria. Se tem direitos tem também obrigações, como os demais munícipes… Baderna tem sim que ser coibida… Mesmo que seja no seu quintal… O seu direito termina onde começa o do seu vizinho… Nosso bairro está sem pessoas que nos representem vários políticos agora estão visitando nossa feira e nosso bairro porque é um ano eleitoral e mesmo assim fecham os olhos para os nossos problemas como estes da avenida e de outros pontos. No dia de feira é outro problema, os carros estacionam na porta de sua casa, na frente da garagem”. Contou outra moradora do bairro.

Avenida Jornalista Augusto Gomes durante feira aos domingos I Foto: Washington Reis

Na noite deste sábado (05) o portal também registrou inúmeras irregularidades e imprudências na extensão da avenida. Em poucos instantes um registro de um acidente de moto com bicicleta mais graças a Deus somente ferimentos leves “ambos salvos”.

O que diz a lei

Duas legislações diferentes abordam a questão dos exageros do barulho nas motocicletas: uma é diretamente relacionada ao trânsito, enquanto a outra tem viés ambiental.

No Código de Trânsito Brasileiro – conforme apresentado pelo Artigo 230, parágrafo VII – “Conduzir o veículo com a cor ou característica alterada” é uma infração de trânsito grave, que gera multa no valor de R$195,23 e medida administrativa (com a  retenção do veículo para regularização. O mesmo Artigo 230, mas agora no parágrafo XI, também aponta como infração de trânsito conduzir veículo “com descarga livre ou silenciador de motor de explosão defeituoso, deficiente ou inoperante”; Se o condutor não resolver o problema no momento da autuação, perde 5 pontos na carteira e paga multa de R$127,96.

O motociclista também pode ser multado por estar com níveis de ruído acima do permitido. O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) determina um máximo de 99 decibéis (db) para motocicletas fabricadas até 1998 ou o nível descrito no manual para modelos posteriores (entre 75 e 80db conforme a cilindrada). Porém para aplicar esta multa, o agente de trânsito não pode ter apenas o ouvido como testemunha: É necessário ter um aparelho chamado decibelímetro, que mede os decibéis de ruído. Mas os agentes dificilmente possuem um aparelho destes, e por isso a multa não pode ser aplicada.

Por: Washington Reis I Foto: ARQUIVO SERGIPE REPÓRTER

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by