Sergipe Repórter

Na prorrogação, Chelsea vence Palmeiras e conquista o Mundial de Clubes

Palmeiras conseguiu resistir bravamente até a prorrogação, mas a falha fatal de Luan na prorrogação deu a vitória para o Chelsea por 2 a 1.

Em decisão muito tensa disputada neste sábado (12) no Mohamed Bin Zayed Stadium, o Chelsea venceu o Palmeiras na prorrogação por 2 a 1 e conquistou o Mundial de Clubes da FIFA.

O primeiro tempo foi equilibrado com o Chelsea tendo a maior parte da posse de bola e conseguindo as principais chances, mas o Palmeiras também foi perigoso quando chegou e encaixou sua estratégia defensiva para anular Thomas Tuchel.

No início da etapa complementar, o Chelsea voltou melhor e conseguiu abrir o placar com Lukaku, mas o Palmeiras aproveitou falha de Thiago Silva e empatou na cobrança de pênalti executada por Raphael Veiga com perfeição. Os Blues até tiveram oportunidades mas não conseguiram vencer o Verdão no tempo regulamentar.

Palmeiras conseguiu anular Chelsea no primeiro tempo

Em relação à semifinal, o Palmeiras entrou em campo com mudanças na formação tática tendo Rony fechando a linha de 5 na defesa pelo lado direito enquanto Marcos Rocha foi designado para acompanhar Kai Havertz por dentro, fazendo Dudu ficar mais pelo lado esquerdo.

Do outro lado, o Chelsea surgiu com mudanças na formação. Thomas Tuchel voltou para a titularidade da equipe com três mudanças em relação à semifinal: Kante, Hudson-Odoi, Mendy e Mount nos lugares de Jorginho, Kepa, Alonso e Ziyech.

O início do jogo ficou marcado por uma inesperada trocação entre ambas equipes. Logo aos 2′, Hudson-Odoi deslocou bom cruzamento na esquerda para Azpilicueta na segunda trave, mas acabou tropeçando na marcação e a bola sobrou na área. Azpilicueta ajeitou para trás e a zaga afastou.

Na sequência, foi a vez do Palmeiras responder com Rony pela esquerda cruzando na medida buscando Dudu, mas a zaga dos Blues afastou. Danilo ficou com a sobra mas a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 6′, com bom controle da posse de bola, Kai Havertz aproveitou bola longa de Kante e segurou até Lukaku chegar para tentar deixar com Azpilicueta, mas Gustavo Gomez chegou primeiro e evitou maior perigo.

Três minutos depois, foi a vez do Hudson-Odoi receber na entrada da área e cortar duas vezes pelo meio mas acabou sendo travado novamente por Danilo que já se destacava com boa atuação.

Aos 14′, Mount não conseguiu encontrar espaço pela direita mas conseguiu inverter para Hudson-Odoi no flanco oposto. O cruzamento saiu na medida para a segunda trave, mas Azpilicueta não alcançou.

Depois de sofrer um pouco mais, o Palmeiras voltou a responder bem. Scarpa cruzou na área e a zaga do Chelsea afastou, mas Piquerez ficou bom a bola na esquerda e cruzou. Houve desvio no caminho e Rony cabeceou na área, mas acabou mandando no meio do go.

Aos 24′, uma das melhores chances do jogo para o Verdão. Danilo conseguiu acionar Dudu com lançamento pela esquerda e o meia cortou para dentro tirando três marcadores, mas a bola passou por cima do gol defendido por Mendy.

Vivendo melhor momento na partida, o Palmeiras conseguiu novamente responder bem e Zé Rafael recebeu de Dudu com projeção, devolvendo para o camisa 7 em direção à grande área. O atacante dominou mas pegou mal.

Em nova grande chance, Zé Rafael tabelou com Dudu na esquerda e avançou deixando Raphael Veiga vencendo Thiago Silva, mas acabou vendo Rudiger se antecipar e evitar chance de maior perigo.

Ainda no primeiro tempo, Kai Havertz recebeu por cima de Kanté e cruzou rasteiro para trás. Danil interceptou e Lukaku desviou de calcanhar, mas Weverton fez a defesa em rara chances dos Blues.

Na última finalização certa do primeiro tempo, Gustavo Scarpa recebeu a bola na esquerda e cruzou na entrada da pequena área, mas viu Mendy evitar maior perigo. Antes do intervalo, Pulisic sofreu falta de Zé Rafael, mas cobrou por cima.

Em uma das grandes chances no jogo, Rafael recuperou a bola de Pulisic e conseguiu deixar Rony com a sobra ficando perto do gol, mas o atacante soltou por cima do gol. E nos acréscimos, Thiago Silva recebeu na intermediária e abriu espaço pelo meio para bater no canto de Weverton, que desviou e evitou o gol.

Chelsea volta mais intenso, mas Palmeiras se recupera no segundo tempo

No início do segundo tempo, o Palmeiras de Abel Ferreira voltou tentando repetir a mesma estratégia com marcação em bloco intermediário e baixo, mas o Chelsea retornou com intensidade maior, movimentando a bola com maior velocidade.

Aos 3′, Rudiger tentou arriscar chute de fora da área e mandou por cima do gol palmeirense levando perigo. Mas não demoraria muito para os comandados de Thomas Tuchel abrir o placar.

Kovacic avançou pela esquerda e abriu na medida para Hudson-Odoi conseguiu outra boa jogada avançando com liberdade. Desta vez, o cruzamento encaixou e Lukaku venceu a disputa aérea contra Luan dentro da área, cabeceando firme e vencendo o goleiro Weverton.

O Chelsea quase conseguiu o segundo imediatamente. Pulisic deixou Danilo para trás e abriu espaço na entrada da área após tabelinha com Lukaku. O meia bateu firme buscando o canto esquerdo e a bola passou perto do gol.

Tudo indicava que o Verdão estava começando a se sentir mais nervoso com o resultado adverso depois de alguns erros técnicos, mas tudo mudou a partir dos 15′. Gómez recebeu na área e desviou para cima. Quando Rony tentou girar para bater, Thiago Silva colocou a mão na bola dentro da área. O árbitro Chris Beath foi chamado ao VAR e não pensou duas vezes em marcar pênalti.

Na cobrança, Raphael Veiga se concentrou bastante e bateu com absoluta perfeição: mandando o goleiro Mendy para o lado errado e batendo firme no canto direito, como manda o manual, deixando tudo igual na decisão.

Tentando responder na medida, o Palmeiras buscou aplicar uma pressão em cima do Chelsea, mas os Blues logo responderam e quase marcaram novamente. Aos 23′, Kai Havertz aproveitou bola afastada de maneira errada e bateu por cima com perigo. Veiga tentou responder na entrada da área, mas bateu fraco nas mãos de Mendy.

Aos 27′, outra grande jogada dos Blues: Kanté avançou com total liberdade pela esquerda e cruzou na medida para Lukaku fazer o pivô com Pulisic. A batida foi muito perigosa e acabou passando perto do gol pela direita.

Na sequência do segundo tempo vieram as primeiras mudanças. Thomas Tuchel acionou Werner e Saúl nos lugares de Lukaku e Hudson-Odoi, enquanto Abel Ferreira optou por Wesley e Atuesta nos lugares de Rony e Raphael Veiga.

A reta final do jogo ficou marcada por maior tensão e um jogo com menos oportunidades, mais travado no meio-campo e com ações ofensivas pontuais para ambas equipes, que não conseguiram ameaçar seus adversários até o apito final com chances de muito perigo.

Blues conseguiram o gol decisivo na prorrogação após falha de Luan

Thomas Tuchel resolveu mexer novamente em sua equipe na prorrogação e surpreendeu. Sarr e Ziyech entraram nos lugares de Christensen e Kovacic, algo que complicou a situação de Dudu que passou a disputar com Thiago Silva e Rudiger.

Como esperado, o Palmeiras de Abel Ferreira ficou mais recuado e voltou a apostar na marcação em bloco intermediário dando a posse ao Chelsea.

Os Blues tiveram uma grande oportunidade em cobrança de falta numa boa posição e Ziyech recebeu o levantamento na medida, mas Thiago Silva não conseguiu escapar da marcação e Luan afastou o perigo. Na sequência, Saúl deixou a bola para Pulisic na entrada da área e Danilo salvou.

Mas a jogada mais perigosa no primeiro tempo da prorrogação foi com Pulisic, percorrendo o lado esquerdo e cruzando na medida para Pulisic chutar e testar o goleiro Weverton em bola que passou perto. Antes do pequeno intervalo, Rafael Navarro (ex-Botafogo) foi acionado no lugar de Dudu.

O roteiro foi semelhante no segundo tempo extra com o Chelsea mantendo mais a posse de bola. E aos 7′, a jogada mais perigosa da prorrogação com Ziyech recebendo na esquerda e cruzando com bastante perigo na área, parando no desvio de Marcos Rocha que mandou para escanteio.

Em bola alçada na área, Ziyech cruzou na área e Havertz pegou a sobra e acionar Azpilicueta, que cruzou na área e viu a bola resvalar no braço aberto de Luan. O árbitro foi chamado ao monitor do VAR e rapidamente marcou pênalti. Kai Havertz foi para a cobrança e mandou Weverton para o canto errado, vencendo Weverton e deixando o placar em 2 a 1.

Para os minutos finais, Abel Ferreira acionou Deyverson, o herói da Libertadores, no lugar de Marcos Rocha para lançar o Palmeiras ao ataque, mas o Verdão demonstrou bastante nervosismo com excesso de faltas e não conseguiu ameaçar o gol adversário. Na prorrogação, Navarro ganhou e partiu na velocidade, mas adiantou demais e perdeu a bola na dividida na última chance nos acréscimos na última chance do jogo.

Antes do apito final, o VAR chamou novamente para análise do cartão vermelho de Luan com falta dura em cima de Havertz no contra-ataque dos Blues. O árbitro analisou o lance e expulsou Luan.

Veja os melhores momentos da partida:

FICHA TÉCNICA
CHELSEA 2-1 PALMEIRAS

Data: 12/02/2022, 13:30
Estádio: Mohamed Bin Zayed Stadium

Gols: 2T 10′ Lukaku (Chelsea); 2T 19′ Raphael Veiga (Palmeiras); 2P 12′ Havertz (Chelsea)

Substituições – Chelsea: Pulisic (Mount); Werner (Lukaku); Saúl (Hudson-Odoi); Ziyech (Kovacic); Sarr (Christensen)

Substituições – Palmeiras: Wesley (Rony); Atuesta (R.Veiga); Rafael Navarro (Dudu); Deyverson (Marcos Rocha)

Chelsea (3-4-2-1): Edouard Mendy; Andreas Christensen, Thiago Silva, Antonio Rudiger; Cesar Azpilicueta, N’Golo Kante, Mateo Kovacic, Callum Hudson-Odio; Mason Mount, Kai Havertz; Romelu Lukaku. Técnico: Thomas Tuchel

Palmeiras (4-2-3-1): Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gomez, Luan Garcia, Joaquin Piquerez; Danilo, Ze Rafael; Dudu, Raphael Veiga, Gustavo Scarpa; Rony. Técnico: Abel Ferreira

Portal Torcedores.com I Foto: IG

Related Articles

Posso ajudar?