Sergipe Repórter

Outubro Rosa 2021: Pacientes oncológicas participam de evento “As Flores na Hípica”

Dando início a Campanha Outubro Rosa deste ano, a Clínica Onco Hematos, que integra o Grupo AMO (Assistência Multidisciplinar em Oncologia), apoiou o evento “As Flores na Hípica – Cavalos e Reabilitação”. O evento foi promovido pela Clínica Cormamare, pelo grupo “Flores do Nosso Jardim” e o Centro Hípico Atlântico, onde aconteceu a ação.

A campanha Outubro Rosa faz a conscientização para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O evento contou com a participação de mulheres que possuem ou já tiveram a doença, em um momento de descontração, com música, maquiagem, sorteio de brindes, entrega de lembranças e passeios a cavalo, através da equoterapia.

Para a mastologista Paula Saab, organizadora do evento, esta atividade surgiu para tentar trazer uma ideia diferente neste Outubro Rosa. “A gente tenta busca ideias diferentes para mostrar para as pacientes oncológicas ações positivas, que possam fortalecê-las, empoderá-las. Estamos num momento tão difícil de pandemia, com tanta incidência de câncer de mama em pacientes jovens, então, tive a ideia de apresentar a equoterapia, que fortalece tanto no ponto de vista emocional, quanto físico, em relação a reabilitação para as pacientes oncológicas”, explicou Paula. “Trouxemos as pacientes, para mostrar que elas podem ter esse contato com cavalos, num ambiente leve, agradável, numa tarde animada. Todas elas estão gostando muito e agradeço aos nossos apoiadores nesse evento, como a Onco Hematos, que sempre foi parceira nossa”, acrescentou.

Para o oncologista da Onco Hematos, Nivaldo Vieira, esse momento é importante para falar do câncer de mama e pensar sobre as diversas formas de rastreamento, de prevenção, de diagnóstico. Segundo ele, a situação do câncer já não era satisfatória no Brasil, mesmo antes da Covid-19, e piorou com a pandemia. “O Outubro Rosa serve para trazer o alerta à saúde da mulher, em específico ao câncer de mama. É hora de discutirmos formas de melhorar a questão do diagnóstico e da prevenção. Durante a pandemia, houve uma queda de diagnóstico de 70%, isso não quer dizer que o câncer desapareceu, mas faltou diagnóstico. Com os hospitais lotados, não havia vaga para fazer biópsia e cirurgias. Então precisamos resgatar isso, as pessoas precisam voltar a fazer sem exames de rastreamento, suas mamografias. É preciso buscar essas mulheres e recuperar esse tempo perdido”, alertou o oncologista.

A paciente da Onco Hematos, Iracema Pereira, que teve câncer de mama há 14 anos, fez uma orientação a outras pacientes com câncer. “Não desistam nunca, tenham fé e esperança. Lutem com todas as suas forças. O Outubro Rosa vem para a prevenção, para a cura, para orientar sobre o autoexame. Também é preciso ocupar a mente, procurar ajuda”, disse a paciente.

A ex-paciente de câncer de mama e vereadora de Aracaju, Sheyla Galba, participou da atividade e elogiou a organização do evento. “Eventos como esse é muito importante porque a gente consegue passar para outras pessoas a importância do autoexame, da mamografia e da biópsia. E também podemos rever as colegas, as mulheres que foram acometidas com câncer na nossa época”, afirmou.

Fonte: Ascom/Onco Hematos

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?