Perigo: candidatos vão às ruas sem máscaras, apertam a mão do povo e expõe eleitores.

Perigo: candidatos vão às ruas sem máscaras, apertam a mão do povo e expõe eleitores.

Foi dada a largada à campanha eleitoral que ficará marcada na história pelo caráter de excepcionalidade.

O avanço da pandemia no país alterou o calendário, empurrou a eleição de outubro para novembro e modificou as estratégias dos candidatos, com as limitações impostas pelas medidas preventivas em relação ao novo coronavírus, como o veto às aglomerações.

Alguns questionamentos foram enviados por internautas para a nossa redação com as seguintes perguntas:

As determinações dos órgãos de saúde estão sendo respeitadas neste início de campanha eleitoral?  A pandemia continua no Brasil, chegamos a 140 mil mortos. Temos o mau exemplo dos próprios candidatos que tentam vaga nas câmaras municipais e nas prefeituras de Sergipe que contínua desafiando as determinações e decretos sobre o uso de máscara o distanciamento social. E os TREs e TSE como vão se posicionar sobre os candidatos que não usarem máscara e saem abraçando e apertando a mão das pessoas na rua?

No interior sergipano as coisas estão fora dos limites e as autoridades de saúde, vigilâncias sanitárias estão de braços cruzados quando o assunto é aglomerações de candidatos e o não uso de máscaras durante mini comícios, carreatas e o corpo a corpo em locais públicos e privados. Há candidatos, prefeitos e deputados, apoiadores que sequer usam máscara de proteção, tiram fotos aglomerados sem máscaras e abraçam os eleitores expondo ao risco de contágio pelo coronavírus.

A recomendação da Justiça Eleitoral é de que os candidatos cumpram as normas e os protocolos sanitários, o que não vem ocorrendo na maioria dos casos.

Por: Washington Reis I SERGIPE REPÓRTER

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by