SE: Artista plástica Judite Melo morre aos 95 anos, conheça sua história.

SE: Artista plástica Judite Melo morre aos 95 anos, conheça sua história.

O município de Estância na região Sul de Sergipe amanheceu enlutado pela morte da escultora e artista plástica estanciana Maria Judite de Melo Andrade, 95 anos.

Reconhecida internacionalmente, a artesã morreu nesta segunda-feira (15/06/2020) à noite, no Hospital Regional Dr. Jessé Fontes em Estância, vítima de infecção provocada por uma bactéria.

As esculturas e imagens em barro feitas por Judite Melo são conhecidas internacionalmente. A escultora iniciou seus trabalhos no ano de 1963, estava grávida de seu primeiro filho quando encontrou uma imagem do menino Jesus quebrada e resolveu tentar consertar para fazer um presépio de natal, que era um sonho antigo, mais não tinha condições financeiras para  realizá-lo.

O conserto da imagem deu tão certo que ela começou a esculpir animais, transformando-se em santeira.

Nasceu e morreu no berço da cultura sergipana

Judite Melo nasceu em Estância, no dia 6 de maio de 1925. Filha de João Chaves de Melo e Temrica Florisbela Melo, desde jovem sempre esteve em contato com o mundo artístico: participou de grupos teatrais, fez bordados e experimentou também, por incentivo de amigos.

Sua arte em barro começa a surgir quando a escultora completa 39 anos de idade, de forma autodidata, com o intuito de construir um presépio já que, à época, não tinha condições de comprar um. Nessa sua nova fase artística, teve o apoio fundamental de seu esposo (falecido), Edgar de Souza, e do artista plástico estanciano José de Dome.

Inicialmente, retratava tipos regionais, passando a dedicar-se quase que exclusivamente à arte sacra – que se tornou sua temática artística mais característica – algum tempo depois.

Mãe de quatro filhos: Antônio José de Melo, Jonas de Melo Andrade, Deusdite de Melo Andrade, Rosa Emília de Melo Andrade e avó de Edigar Sousa Andrade Neto, Ana Luísa Alves Andrade, Fernando e Daniel.

A escultora já expôs suas obras em diversos estados, dentre eles Rio de Janeiro, Distrito Federal e Bahia, além de Aracaju. Judite Melo é percussora da arte sacra em Estância e seu trabalho contribui para o crescimento do artesanato em Sergipe.

No dia 02 de maio de 2016 a história de Judite ganha às telas dos cinemas com o documentário idealizado pelas cineastas Fátima Góes e Gabriela Caldas, o curta com duração de 16 minutos. O curta intitulado “Judith Melo, Vida e Obra de uma estanciana” foi ao ar no Plenário da Câmara Municipal de Estância.

A morte de Judite foi destaque nos principais jornais do Estado de Sergipe e as ultimam homenagens nas redes sociais de políticos, parentes e amigos.

“Descanse em paz, Dona Judite Melo! A senhora soube fazer valer os seus 95 anos de existência, revelando-se todo tempo uma esposa, mãe, vó e amiga amorosa, fiel e humilde! Estância jamais lhe esquecerá”. Vereador Dionísio Neto.

“É com todo pesar que recebemos a triste notícia do falecimento da nossa querida amiga Judite Melo, era uma das figuras mais conhecidas de Estância, detentora de um vasto trabalho com peças em arte sacra, que já ultrapassou os limites do Estado de Sergipe, tendo esculturas circulando não só no Brasil, mas também no exterior e foi uma das fundadoras do Bairro Cidade Nova. Ela parte deixando-nos muitas lições de amor, amizade, profissionalismo, ética e humanidade”. Prefeito de Estância Gilson Andrade.

“Nenhuma palavra será capaz de definir a grandeza dessa artista. Dona Judite esculpia amor com as mãos, reconhecida internacionalmente levando consigo toda sua estancianidade, do povo da periferia de nossa cidade ganhou o mundo. A cultura popular brasileira está triste, mas essa estrela agora brilha no céu, iluminando nosso caminho, gravado na imortalidade da nossa identidade cultural”. Marcio Souza.

“Suas artes em barro, traz hoje a beleza para muitas casas e repartições públicas. Judite Melo esculpiu diversas obras, que sempre encantou pessoas de todo Brasil”. Elisângela Dórea.

“É com profundo pesar que o Parlamento Estanciano recebeu a notícia do passamento da senhora Judite Melo, esposa, mãe, avó, artista plástica que deu notoriedade internacionalmente a cidade de Estância através das obras, em argila, esculpidas pelas suas talentosas mãos”. André Graça, presidente da Câmara Municipal de Estância.

“Merecedora da admiração de nossa família, minha e de todos que conheceram o seu trabalho. Na fase inicial de sua carreira, ela fazia além dos santos em barro, bonequinhos de figuras típicas, vendedor de caju, pescador, lenhador, vendedor de caranguejo e outros. Mas, o que a consagrou foram as imagens sacras que alçaram voos nacional e internacional. Me solidarizo com a família e amigos da artesã, Judite Melo, e lamento por esta inestimável perda. Ivan Leite.

“Uma das fundadoras do Bairro Cidade Nova, Judite Melo, enaltece a arte popular nordestina com simplicidade e muita religiosidade. Seu nome e seus trabalhos edificarão a história do município de Estância. Me solidarizo com a família e amigos da artesã, Judite Melo, e lamento por esta inestimável perda. Valdevan Noventa, deputado Federal.

“Deus me deu Deus tomou bendito seja o nome do senhor”. Neto de Judite, Edigar Souza.

Velório e Sepultamento

O corpo da artista plástica está sendo velado no velatório da Osaf no bairro Cidade Nova e o sepultamento será logo às 16h no Cemitério São Francisco de Assis também no bairro Cidade Nova.

Confira alguns trabalhos de Judite Melo em vídeo.

ALESE – 03/02/2020

Terra Sergigy – 27/09/2018

Artistas Populares – 1º/04/2018

Aperipê TV – SINDIJOR – 1º/11/2018

Judite Melo sempre estará em nossas memórias. Nossa arte perdeu um pouco de sua história. Mulher guerreira, de fibra e sempre alegre, carinhosa e acolhedora. Foi tema do nosso curso de repórter-cinematográfico em 2018 acompanhado pelos mestres Dida Araújo e Reginaldo que foi ao ar em uma matéria produzida pela Aperipê TV. Passamos uma linda manhã entrevistando e fazendo grandes imagens de seu trabalho, ela expressava cada detalhe de sua história, fazia fisioterapia comigo e sempre com aquele sorriso lindo e abraço de uma mulher sem igual. O céu terá várias exposições das belas esculturas de nossa conterrânea Judite Melo. Washington Reis / Sergipe Repórter

“A arte é o meu combustível, eu quero morrer trabalhando, sou a artesã Judite Melo e minha arte é um presente de Sergipe para o Nordeste”. Judite Melo.

Por: Washington Reis / SERGIPE REPÓRTER

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by