SE: Moradores reclamam da falta de iluminação na br-101 em Estância e prefeitura alega furto

SE: Moradores reclamam da falta de iluminação na br-101 em Estância e prefeitura alega furto

O Distrito Industrial está sem luzes em Estância há meses. População afirma que já foram feitas diversas reclamações mais que até o presente momento nada foi feito.

Porém, o secretário de urbanismo Renato Silva afirmou ao Sergipe Repórter que a manutenção no referido local sempre foi mantida mais o maior problema são os furtos nas instalações elétricas que ocorrem com frequência no local.

Os moradores e empresários estão preocupados por que a onda de assalto na br-101 está sendo frequente como conta o morador João Donalto Santos, 41 anos, morador do bairro Cidade Nova.

Ainda na publicação, moradores questionam que pagam taxas de energia e que, por isso, o serviço deveria ser regularizado. “Já que vem incluída a contribuição de custeio de serviço de iluminação pública em nossa conta de luz, estamos no direito de cobrar por uma solução rápida do problema”, esbraveja uma moradora. “E na conta de luz está lá a taxa sendo cobrada do povo”, “o povo paga taxa, então não é motivo para estar assim”, reclamam outros munícipes da vizinhança.

A situação tem colocado em perigo pedestres e empresários da região. Em um outro comentário, uma leitora afirma que o perigo para ela é o horário que volta do trabalho. “Chego do serviço tarde da noite e me deparo com o distrito desse jeito”, contesta ela. Em outro caso, uma mulher afirma que a falta de energia e lâmpadas costuma se repetir. “Isso nunca tem solução.”, conta ela.

Após as diversas reclamações, o SERGIPE REPÓRTER entrou em contato com a prefeitura, por meio da Secretaria de Urbanismo, pedindo um posicionamento sobre as luzes apagadas no centro industrial, que é a principal via de acesso de funcionários, empresários e moradores da cidade nova para o centro da cidade, já que a outra via de acesso pelo Pedro Barreto Siqueira não oferece segurança para trafego de pedestre.

Procuramos a Secretaria Municipal de Urbanismo e o Secretário Renato Silva Júnior informou que está ciente do problema e que está apenas aguardando a finalização do processo licitatório para a reposição das lâmpadas e manutenção da rede elétrica seja efetuada. O secretário também informou que a reposição de lâmpadas no trecho em questão vinha sendo realizada periodicamente, porém existe outro ponto que infelizmente não colabora. O secretário disse que tem dado prioridade ao centro industrial inclusive um projeto foi criado para que a rede elétrica fosse instalada subterrânea mais no local existe a passagem de uma tubulação de gás da Petrobrás e não foi possível. A reposição será feita dentro de um prazo de 60 dias porque aguarda a conclusão dos processos de licitação.

Bom dia Renato, tem um pessoal cobrando a reposição de lâmpadas e manutenção da rede elétrica do distrito industrial. Preciso de uma resposta do Poder Público. Eles alegam que o trecho compreendido entre a entrada do Conjunto Valadares até o Posto o Posto Pioneiro esta sem iluminação. Esse trecho é de competência da prefeitura ou de outro órgão? Se for da prefeitura quais medidas já estão sendo tomadas para reposição, se está em processo licitatório e um prazo para essa manutenção?

“Já informamos e respondemos por diversas vezes acerca desse assunto. Está sendo licitado, em fase final de procedimento. Início da obra em menos de 60 dias”.

“Naquele trecho já realizamos diversas intervenções, reposição de cabos, fiações, por conta do vandalismo, furtos que estavam sendo praticados neste trecho, foram três vezes, reposta a fiação, ocorrendo que da última vez que houve o furto, comprometeu o cabeamento, o furto foi tão absurdo que comprometeu toda a rede de alimentação daquela iluminação, fechou um curto e danificou todo o cabeamento o que inviabilizou a reposição ou qualquer outro tipo de reparo. Nesse período optou-se pela substituição da rede aérea para subterrânea para dificultar a ação dos vândalos porém o projeto não foi adiante por conta de uma rede da Petrobrás que está instalada no local. No entanto o projeto foi encaminhado para o processo licitatório, estamos aguardando a conclusão e acreditamos que no período de 60 dias já possamos realizar esse trabalho nessa área”. Disse o secretário.

A taxa que sai do bolso do consumidor deve ter um fim específico: manter as ruas bem iluminadas e o fornecimento de energia regular: “Cabe ao consumidor, ao eleitor, cobrar do poder público ou da companhia de energia elétrica se tem uma lâmpada queimada em frente a sua casa ou do seu estabelecimento”.

Com o repasse a prefeitura tem a finalidade o custeio do serviço de iluminação pública, que compreende a iluminação de vias, logradouros e demais bens públicos, a instalação, a manutenção, o melhoramento e a expansão da rede de iluminação pública, além de outras atividades a estas correlatas.

Por: Washington Reis / SERGIPE REPÓRTER

administrator

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by