Sergipe Repórter

Sem conseguir liberação da Sefaz, caminhoneiros ameaçam fechar BR 101

Alguns aguardam por até 16 horas a liberação das notas fiscais retidas em operação

Cerca de 60 caminhoneiros estão parados por horas em uma operação dos auditores fiscais da Secretaria da Fazenda (Sefaz) do Estado de Sergipe. A fila de veículos já toma conta da lateral da BR 101, na entrada da cidade de Aracaju, onde está localizado o Posto Fiscal Osvaldo Nabuco. Insatisfeitos com a demora e os prejuízos já acumulados pelo atraso no envio das cargas, os caminhoneiros ameaçam fechar a via. 

Segundo informações do condutor Irapuan Gomes, que veio de Recife para Aracaju, desde esta segunda-feira (4) ele aguarda há cerca de 16h a liberação da nota fiscal retida no posto da Sefaz localizado no município de Propriá. Gomes conta ao F5News que ao chegar no município deu entrada no processo para retirada da nota fiscal, no entanto, teve o documento retido, recebeu um termo de responsabilidade e foi encaminhado para o Posto Fiscal Osvaldo Nabuco, na entrada de Aracaju, onde foi parado em uma mobilização dos auditores fiscais e, até o momento, não teve a liberação da nota fiscal. 

“Eles estão reivindicando aumento de salário que, segundo eles, já está há sete anos sem reajuste. Aí estão fazendo essa operação pente fino, com todos os veículos que dão entrada em Aracaju. Uma operação misturada com reivindicação salarial deles. O entendimento é que eles querem tumultuar uma paralisação, formalizando a abordagem do caminhão”, diz Gomes, insatisfeito.

De acordo com o Sindicato do Fisco do Estado de Sergipe (Sindifisco), a Operação Padrão está sendo realizada nos postos fiscais e nos demais setores da Sefaz com o objetivo de combater a sonegação fiscal, averiguando com maior critério o recolhimento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), devido pelos contribuintes ao Fisco Estadual. A ação conta com cerca de 20 auditores fiscais e contempla todas as mercadorias destinadas a Sergipe. 

No entanto, segundo o caminhoneiro Gomes, a abordagem fiscal nunca demorou tanto e, assim como ele, outros colegas de profissão já amargam prejuízos. “Isso está causando um enorme transtorno com relação ao agendamento dos nossos clientes, que foi perdido, a hora do caminhão parado, o órgão embarcador e transportador sendo prejudicado com o tempo do carro parado. Tinha mais de 150 carros aqui, porque vem de lá de Arapiraca e fica armazenado aqui”, disse. 

“A Secretaria da Fazenda informa que está passando por um processo de modernização e para isso fará concurso público com exigência de nível superior e proposta de salários compatíveis com a função. Em relação à fiscalização para evitar a sonegação fiscal, é papel primordial a ser exercido pelo auditor, dentro da legislação e sem excessos.

Sobre reivindicações da categoria, que já possui um dos maiores salários entre os servidores estaduais e mesmo com decretação da ilegalidade da greve pelo Poder Judiciário, a SEFAZ/SE está aberta ao diálogo”.

Atualizada às 11h30 para acréscimo da posição da Sefaz/SE

Edição de texto: Monica Pinto

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?