Sergipe Repórter

Sergipanos recebem falsa proposta de emprego no Paraná e denunciam situação de precariedade

É insatisfatória e regada de angústia a situação de cidadãos sergipanos que percorreram cerca de 2588 km até a cidade de Araucária, no Paraná, em busca de uma oferta de trabalho na área da Construção Civil. Segundo as informações apuradas, cerca de 29 homens foram atraídos pela proposta, que garantia boas condições de alojamento, refeições e um salário de R$ 5 mil reais. 

No entanto, ao chegarem no local, eles se depararam com uma realidade totalmente diferente da descrita, e atualmente, relatam as necessidades que estão passando no cotidiano, sem ter condições de retornar para casa. Foi exposto que os trabalhadores nem sequer realizaram testes admissionais, além de terem sido levados a pagar uma quantia em dinheiro para ajudar nos custos operacionais.

“Infelizmente a situação que a gente se encontra é a de 29 pessoas dormindo no chão em uma casa de dois quartos, um banheiro só, e a água que a gente toma é da torneira, sendo que prometeram geladeira. O fogãozinho que a gente tem já foi doado para gente, também estão doando alimentos para nós. Está fazendo frio, e nós não estamos acostumados”, expôs um desses trabalhadores em um vídeo.

Segundo o homem,  há mais de 17 dias os cidadãos estão sob a promessa de realização de exames médicos para o início das atividades laborais, e que o último compromisso feito pelo responsável pelas contratações teria sido de que estes procedimentos seriam realizados nesta última quinta-feira, 14, o que não ocorreu.

“A gente liga para o dono da firma, que ficou responsável, e infelizmente ele não está atendendo, fica mandando áudio, dizendo que vamos fazer exame para começar a trabalhar e nada”,  afirmou ainda.

Durante o programa Alerta 99, desta sexta-feira, 15, Cícero Neto, representante da comunicação de Rosário do Catete forneceu um depoimento onde explicou os empenhos da administração para fornecer um auxílio para os rosarienses que foram enganados pela proposta.

“O prefeito César Resende esteve reunido com as famílias de sete trabalhadores rosarienses, que solicitaram ajuda ao poder público municipal para trazê-los com segurança. Então a Prefeitura já está buscando a forma legal, para o mais rápido possível realizar a volta destes trabalhadores”, finalizou.

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?