Sergipe Repórter

Sindicato teme demissão dos bombeiros civis no Aeroporto de Aracaju

O Sindicato dos Bombeiros Profissionais Civis do Estado de Sergipe (SindBomPC-SE) está preocupado com a situação dos bombeiros civis que atuam no Aeroporto Santa Maria, em Aracaju. Segundo o Sindicato, a empresa administradora do local, Aena Brasil, pretende substituir os atuais 39 bombeiros civis de aeródromo por bombeiros militares. 

De acordo com o presidente do SindBomPC-SE, Charles Fontes, a empresa vai realizar um curso de capacitação para os bombeiros militares com o intuito de substituir os civis que ocupam o cargo desde o ano de 2014. “Já está rolando uma nota interna dos bombeiros militares, informando sobre o curso de capacitação para ocupação das vagas, porém, nenhuma informação chegou aos 39 bombeiros civis de aeródromo que já ocupam o cargo há 7 anos”, declara.

Ainda segundo informações do presidente, medidas cabíveis já foram tomadas pelo sindicato para tentar investigar a situação, que para ele, é um fator prejudicial para os bombeiros militares. “Já protocolamos uma ação investigativa porque tudo está sendo feito sem nenhum esclarecimento por parte da empresa”, comenta. “O bombeiro militar que entrar nesse curso e for ocupar a vaga, além de estar exausto do serviço de plantão 24h, vai ter que prestar serviço na brigada do aeroporto que tem o regime civil, o que pode ser cansativo”, completa.

O presidente destaca que, com toda a situação acontecendo, a sociedade também sairá perdendo. “Os militares já têm a efetividade baixa para suprir as demandas da sociedade, então com esse serviço adicionado, a sociedade também será prejudicada”, pontua.

A reivindicação do sindicato é que não haja substituição dos civis efetivos na brigada do aeroporto pelos bombeiros militares. Charles Fontes menciona a importância da permanência dos civis na brigada ao citar que todos os efetivos possuem capacitação para exercer o cargo. “Nós fomos treinados e certificados para resguardar todo e qualquer sinistro no aeroporto e aviões, pousos de emergência, prestar socorro, ocorrências de animais na pista de pouso, então a nossa reivindicação é de que a empresa mantenha como já está”, ressalta.

Corpo de Bombeiros Militares 

Em nota, o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) informou que os cursos fazem parte da rotina dos bombeiros militares, visando a capacitação necessária para atender às mais diversas demandas da sociedade. Entre outros vários cursos previstos para este ano, está o de capacitação de incêndio em aeródromo.

Sobre a reivindicação dos civis, o CMBSE declarou que não havia possibilidade de posicionamento, porque é uma competência que não cabe a eles e que não podem dizer quem deve ou não deve atuar no aeroporto.

Empresa Aena

Portal Infonet também entrou em contato com a empresa Aena para saber o posicionamento dela sobre a situação, mas até a publicação desta matéria, não houve resposta. O Portal Infonet permanece à disposição através do e-mail jornalismo@infonet.com.br.

Por Isabella Vieira e Verlane Estácio I Portal Infonet I  (Foto: arquivo/ASN)

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?