Sergipe Repórter

SMTT de Estância intensifica fiscalização no transporte coletivo. Acessibilidade longe da realidade.

O sistema de transporte urbano de Estância tem passado por um processo contínuo de fiscalização, voltado a averiguar as condições dos ônibus e garantir a segurança dos usuários.

O trabalho é realizado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT).

Segundo o Superintendente da SMTT – Manoel Messias, o sistema de transporte já vem sendo fiscalizado e cobrado as melhorias para garantir ao usuário conforto e acessibilidade.

“As vistorias e a fiscalização da limpeza dos ônibus são fundamentais para assegurar o estado de manutenção dos ônibus e sua vida útil. O trabalho também serve para assegurar o conforto, a segurança e o bem estar dos usuários do sistema de transporte coletivo de Estância e, no entanto estamos intensificando nossos trabalhos não somente com o transporte alternativo local como outras cooperativas que tem itinerário circulando na cidade e demais veículos”, destacou Messias.

As vistorias observam itens de uma lista de normas que o veículo deve preencher para ser liberado para circular. Entre os itens está o funcionamento regular de todos os itens mecânicos, segurança, parte elétrica e outros.

Sobre elevadores para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida o superintendente afirmou que existe uma TAC – Termo de Ajuste de Conduta em andamento no Ministério Público Estadual para que os cooperados cumpram, mais não disse qual o vencimento deste prazo.

O superintende informou que na manhã desta terça-feira (02) a fiscalização teve inicio por voltas das 6h na região da feira livre do centro e que alguns veículos de transporte coletivos, motocicletas, automóveis que estão irregulares por algum motivo serão autuados pelo órgão.

“Ontem iniciamos e intensificamos a fiscalização e independente de qual for a cooperativa iremos atuar conforme determina a lei e hoje atuamos na feira central aqui da cidade logo cedo”. Finalizou Manoel.

Denúncia

Uma moradora do bairro Cidade Nova afirmou ao Sergipe Repórter que presenciou o absurdo dos absurdos no momento em que um deficiente amputado de membro inferior estendeu as mãos para que o ônibus parasse no ponto e que foi ignorado pelo condutor que não parou continuando sua viagem e o deficiente que tinha agendamento para um consultório teve que pagar um taxi para leva-lo.

Por: Washington Reis I SERGIPE REPÓRTER I Foto: Washington Reis

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?