Sergipe Repórter

Sob forte comoção, Paulinha Abelha é sepultada em Simão Dias

O corpo de Paulinha Abelha foi sepultado sob forte comoção de familiares e amigos próximos na tarde desta sexta-feira (25) no Cemitério de Simão Dias.

O corpo da cantora, de 43 anos, foi velado ontem no Ginásio Constâncio Vieira em Aracaju e durante a manhã desta sexta no Ginásio de Simão Dias, e por volta das 15h, seguiu para o cemitério local.

Durante todo o trajeto ela foi homenageada por fãs que não conseguiram ir ao velório. Todo o cortejo foi acompanhando por fãs, integrantes da Banda Calcinha Preta e artistas. Na saída do Ginásio em Simão Dias a cantora Silvania Aquino da Banda Calcinha Preta carregou junto com os Bombeiros Civis o caixão. Demonstrando a verdadeira amizade e carinho que tinha por Paulinha.

O velório ficou aberto das 09h às 15:30hs.

O cortejo fúnebre saiu da capital Aracaju ainda na manhã desta sexta-feira (25) do Ginásio Constâncio Vieira sobre um caminhão do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe com destino a cidade natal de Paulinha.

Sob um clima de forte comoção, o cortejo fúnebre com o corpo de Paulinha Abelha chegou carregado por Bombeiros Civis por volta das 09 horas.

O prefeito Cristiano Viana também comentou sobre a morte precoce de Paulinha e disse que a cidade está de luto por essa menina que levou o nome de Simão Dias para o Mundo.

Um fã pintou a fachada da casa com o rosto de Paulinha em homenagem a ela.

A vocalista da banda Calcinha Preta estava internada há quase duas semanas em unidades de terapia intensiva (UTI), para tratamento renal. A cantora morreu em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico, segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação do Hospital Primavera.

Paulinha era casada com o modelo Clebinho Santos e não tinha filhos.

Natural do município de Simão Dias, no interior de Sergipe, Paula de Menezes Nascimento Leça Viana, trabalhou com pai comercializando em feiras livres. Começou a carreira como cantora profissional na banda Panela de Barro, onde fez dupla com o cantor Daniel Diau.

Os dois voltaram a cantar juntos na Calcinha Preta, que também é composta, atualmente, por Silvânia Aquino e Bell Oliver. A história na banda tem idas e vindas, mas começou no final dos anos 90, quando o empresário Gilton Andrade a descobriu. Ao todo, ela gravou 21 CDs e três DVDs.

A cantora foi homenageada na música que leva o seu nome, “Paulinha”. Deixou a banda em 2009 para integrar a G.D.Ó. do Forró com Marlus Viana, com quem foi casada. Em 2014, retornou para a Calcinha Preta. Em 2016, Paulinha deixou a banda para formar dupla com a Silvânia Aquino, retornando ao grupo em 2018.

Entre os maiores sucessos interpretados por Paulinha estão as músicas: ‘Você Não Vale Nada”, ”Furunfa”, “Baby dool”, “Louca por ti”, “Sonho Lindo”, “Armadilha”, “Paulinha” e “Ainda te amo”.

A Calcinha Preta gravou um DVD de 25 anos em fevereiro de 2020 e retornava à rotina de shows após meses sem apresentações por conta da pandemia.

Nós do Sergipe Repórter que sempre acompanhava os shows da Banda Calcinha Preta, a cantora Paulinha Abelha estamos todos comovidos por essa partida precoce desta menina, da abelhinha que vai deixar muitas saudades. Descanse em paz musa do forró, vai ao encontro de Deus, seu talento, seu sorriso, sua voz, suas brincadeiras ficaram para sempre em nossos corações.

Por: Washington Reis I SERGIPE REPÓRTER I Foto: Prefeitura de Simão Dias

Related Articles

Posso ajudar?