Sergipe Repórter

Suspeito de assalto a banco em Pacatuba morre em Aracaju

Nessa sexta-feira, 23, policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) realizaram uma operação para cumprir mandados de prisão contra Antônio Jesus dos Santos, 51, popularmente conhecido como “Coroa”, natural de Tucano/BA, e Alex Dorneles de Faria, 45 anos, nascido em Uberlândia/MG. Os dois tiveram participação no assalto ao Banco do Brasil do município de Pacatuba em Sergipe, segundo a polícia e um deles acabou morrendo durante a ação policial.

Antônio Jesus dos Santos entrou em confronto com a equipe policial e foi alvejado. Ele foi socorrido e ecaminhado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O suspeito era investigado em diversos estados por assaltos a carros fortes e instituições financeiras. Com uma extensa ficha criminal, “Coroa”, como era chamado, fazia uso de documentos falsos para escapar da ação da polícia. A localização do suspeito foi possível após intensa troca de informações entre a Polícia Civil sergipana e a Polícia Federal.

“Coroa” era investigado em diversos estados do Brasil por explosões a agências bancárias, roubos a carro-forte e mineradoras, além de porte de armas de grosso calibre. Ele agia com bastante violência nas ações do grupo. Desde 2002, sua ficha criminal vem se estendendo pela prática de inúmeros delitos. Em 2018, ele foi preso na Bahia portando documentos de Amaury Arlindo da Silva.

Já Alex Dorneles foi preso enquanto trafegava em uma avenida no Conjunto Marcos Freire, em Nossa Senhora do Socorro. Ele foi conduzido e está à disposição da Justiça. 

Entenda o caso

A agência do Banco do Brasil no município de Pacatuba foi alvo roubo no dia 3 de março deste ano. Toda a ação criminosa foi registrada pelas câmeras de segurança que durou em torno de 14 minutos. O dinheiro roubado estava no cofre da agência e as investigações não apontam a quantidade que foi subtraída pelos criminosos.

Pouco depois das explosões em Pacatuba, ainda no dia 3, os investigadores do Cope prenderam três pessoas envolvidas diretamente com a explosão da agência bancária do Banco do Brasil do município. O trio foi responsável pela observação de detalhes nos arredores da agência dias e horas antes do crime e reservou uma residência na zona rural da cidade de Pacatuba, onde o grupo criminoso preparou todas ações para a prática do roubo.

Operação no RN

Em novembro do ano passado, a Polícia Federal prendeu oito pessoas e apreendeu um fuzil, uma submetralhadora e três pistolas numa operação que desarticulou uma quadrilha de roubos de agências dos Correios, bancos e carros-fortes. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão no RN e na Bahia. O grupo era ligado a Antônio Jesus dos Santos, o Coroa, que acabou fugindo do cerco montado pela PF.

De acordo com a Polícia Federal, todas as prisões aconteceram no RN: duas por força de mandado e outras seis em flagrante. Na época, os mandados foram cumpridos em Parnamirim e Nísia Floresta, no Rio Grande do Norte, e em Simões Filho, na Bahia.

O alvo da operação de hoje também era investigado por um latrocínio praticado em Parnamirim, no Rio Grande do Norte, em outubro do ano passado. Um padeiro foi morto por Antônio Jesus em uma padaria, em uma tentativa de assalto.

SSP/SE

Related Articles

Abra aqui
Posso ajudar?